Show simple item record

dc.contributor.authorKrause, Tereza Cristina Caronpt_BR
dc.contributor.otherDanski, Mitzy Tannia Reichembachpt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências da Saúde. Programa de Pós-Graduação em Enfermagempt_BR
dc.date.accessioned2014-02-20T12:27:56Z
dc.date.available2014-02-20T12:27:56Z
dc.date.issued2013pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/34794
dc.description.abstractResumo: O tema segurança do paciente alcançou, na atualidade, um espaço muito importante nos modelos de gestão das instituições de saúde, nas discussões em encontros e no campo da pesquisa. Despertando o interesse dos profissionais da área da saúde no desenvolvimento de programas de qualidade dos serviços, visando prestar uma assistência ao paciente baseada na segurança e na eficácia. Monitorar a ocorrência de lesões de pele em pacientes internados evidencia-se como um fator importante no gerenciamento de risco, colaborando para a segurança do paciente com relação à prevenção e à redução dos eventos adversos decorrentes do cuidado à saúde. Nesta perspectiva, os objetivos deste estudo foram: realizar diagnóstico situacional da instituição quanto à prevenção e tratamento de lesões de pele; descrever as fases de implantação da Comissão de Cuidados com a Pele em um Hospital de Ensino de Curitiba. Trata-se de pesquisa descritiva dividida em duas etapas. Na primeira etapa, de natureza diagnóstica, realizou-se um diagnóstico situacional da notificação e do acompanhamento, ações de prevenção e tratamento das lesões de pele, e da existência de capacitação dos profissionais de enfermagem. Nesta etapa foram entrevistados 25 enfermeiros, sendo um representante de cada unidade de internação. Os dados foram analisados e agrupados em: caracterização das unidades; prática do enfermeiro relacionada a lesões de pele; conhecimentos sobre ferramentas de gestão da qualidade e segurança do paciente e conhecimentos e práticas relacionadas às lesões de pele. Os resultados apontam que a medida mais realizada para a prevenção de lesões de pele é a mudança de decúbito. A instituição possui gestão de risco e da qualidade, mesmo assim, somente 16% dos participantes referiram utilizar a úlcera por pressão (UP) como indicador de qualidade para a gestão de risco e 52% não realizou nenhuma notificação de lesões. Com relação a programas de educação, 88% relataram que não existe capacitação sobre o tema cuidados com a pele na instituição. A segunda etapa denominada intervenção, cuja proposta foi de pesquisa documental, visou à implantação da comissão de cuidados com a pele (CCP) a fim de sistematizar o cuidado de prevenção e tratamento das lesões de pele aos pacientes internados na instituição local do estudo. A comissão foi implantada em quatro passos sendo eles: negociação; estruturação; documentação e implementação, e foi oficializada por portaria em outubro de 2012. Tem caráter normativo e consultivo para desenvolver atividades relacionadas à assistência, educação permanente e pesquisa no que se relaciona a prevenção e tratamento de lesões de pele, cuidados com estomias, cateteres e drenos. No período de outubro/2012 a julho/2013 foram realizados 402 atendimentos pela CCP. Dentre as etiologias tratadas a mais prevalente foi a UP (36%). Os cuidados relacionados às lesões de pele são essenciais em uma instituição de grande porte e o seu controle exige um conjunto de medidas por parte dos profissionais e da instituição, como o cuidado baseado em evidências científicas, políticas de gestão, capacitação e uso de tecnologias adequadas para o cuidado com qualidade.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectPele - Cuidado e higienept_BR
dc.titleImplantação de uma comissão de cuidados com a pele em hospital de ensinopt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record