Show simple item record

dc.contributor.authorCavalli, Ricardo Cavalheiropt_BR
dc.contributor.otherTambara Filho, Renato, 1945-pt_BR
dc.contributor.otherFraga, Rogerio dept_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências da Saúde. Programa de Pós-Graduação em Clínica Cirúrgicapt_BR
dc.date.accessioned2014-03-10T13:37:01Z
dc.date.available2014-03-10T13:37:01Z
dc.date.issued2013pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/34725
dc.description.abstractResumo: Introdução: A cicatrização de feridas é dividida em 3 fases: Inflamatória; Proliferativa e Maturacional. Vários fatores podem provocar alterações no processo cicatricial. Drogas imunossupressoras, como o tacrolimus, podem influenciar no reparo de feridas. Objetivo: Avaliar histologia de cicatriz vesical e bioquímica sérica de ratos imunossuprimidos com tacrolimus, com rim único submetido à isquemia/reperfusão. Método: 50 ratos foram randomizados em 5 grupos. Ocorreram 3 óbitos em cirurgia, ficando 47 ratos nos grupos: Controle (Não Submetido à cirurgia, n=10), Sham (Submetido à cirurgia, sem droga, n=8), T1 (Submetido à cirurgia + tacrolimus 1mg/kg, n=10), T2 (Submetido à cirurgia + tacrolimus 0,1mg/kg, n=10), T3 (Submetido à cirurgia + tacrolimus 10mg/kg, n=9). A cirurgia visava reproduzir aspectos do transplante renal. Realizou-se laparotomia mediana, nefrectomia direita, isquemia/reperfusão renal esquerda, cistotomia seguida de cistorrafia. Após, os ratos receberam a medicação diariamente (Controle e Sham receberam apenas solução fisiológica. T1, T2, T3 receberam tacrolimus nas doses já citadas). No 14º dia, realizamos cistectomia para análise histológica por Hematoxilina-Eosina e dosagens séricas de uréia, creatinina e tacrolimus. Resultados: Houve diferença significativa no tacrolimus sérico comparando T3 com outros grupos (p<0,05). Houve aumento na creatinina do T3 e piora da uréia dos grupos com tacrolimus. Houve diferença significativa entre todas as variáveis histológicas comparando os grupos com e sem tacrolimus (p<0,05). Conclusões: O tacrolimus associado à isquemia/reperfusão é nefrotóxico, suprime inflamação e parece atrasar a cicatrização de bexiga.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectDissertaçõespt_BR
dc.subjectCicatrizpt_BR
dc.subjectBexiga urináriapt_BR
dc.subjectRimpt_BR
dc.subjectRatospt_BR
dc.subjectTacrolimopt_BR
dc.subjectImunossupressãopt_BR
dc.titleEfeitos do tacrolimus na cicratização de bexiga em ratospt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record