Show simple item record

dc.contributor.authorAndré Luis Lopes da Silvapt_BR
dc.contributor.otherSoccol, Carlos Ricardo 1953-pt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Tecnologia. Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Bioprocessos Biotecnologiapt_BR
dc.date.accessioned2014-01-31T12:48:41Z
dc.date.available2014-01-31T12:48:41Z
dc.date.issued2013pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/34675
dc.description.abstractResumo: A cultura de tecidos vegetais permite a obtenção de um grande número de plantas geneticamente idênticas num curto espaço de tempo, além de permitir a produção de metabólitos secundários em ambiente controlado. Entretanto, para garantir competitividade, elevada produção e redução de custos, novas tecnologias devem ser desenvolvidas. Por essa razão os objetivos desse trabalho foram: (1) Estabelecer protocolos de micropropagação para duas espécies de bromélias (Nidularium procerum e Nidularium innocentii); (2) Desenvolver um meio de cultura usando a vinhaça (resíduo industrial) e (3) Verificar o potencial de uma nova fonte de ácido giberélico (extrato fermentado de polpa cítrica) para aumentar a atividade antioxidante e a acumulação de quercetina em duas bromélias. (1) Os protocolos de micropropagação estabelecidos, diferiram com relação à concentração de BAP usada para a multiplicação in vitro, sendo 4 uM de BAP (6-Benzilaminopurina) para N. procerum e 8 uM de BAP para N. innocentii, podendo ser em meio líquido ou sólido. O alongamento e enraizamento in vitro foram eficientemente induzidos em meio de cultura sem a adição de reguladores de crescimento. Plantas enraizadas foram satisfatoriamente aclimatizadas em substrato Plantmax HT® em casa de vegetação com nebulização intermitente resultando em 100% de sobrevivência das mudas micropropagadas. (2) Um meio de cultivo para a cultura de tecidos vegetais usando a vinhaça foi desenvolvido. A melhor diluição de vinhaça (decantada e filtrada) para a formulação dos meios é de 2,5%. Duas formulações de meio de cultura de vinhaça se destacaram sendo a KCV1 (vinhaça 2,5% suplementada com 1000 mg L-1 de Ca(NO3)2·4H2O, 65 mg L-1 de MnSO4·4H2O) e KCV5 (vinhaça 2,5% suplementada com 1000 mg L-1 de Ca(NO3)2·4H2O, 65 mg L-1 de MnSO4·4H2O e 240 mg L-1 de NaH2PO4·H2O). Todas as etapas da micropropagação foram realizadas nessas formulações a base de vinhaça, e as plantas micropropagadas foram aclimatizadas, demonstrando a eficiência do uso da vinhaça para formular meios de cultura de plantas. (3) Com relação à atividade antioxidante, a N. innocentii apresentou maior atividade antioxidante do que a N. procerum. O GA3 pode influenciar a acumulação de metabólitos secundários em N. innocentii, mas não na N. procerum. Compostos desconhecidos presentes no extrato fermentado de GA3 potencializaram a atividade antioxidante e a quantidade de quercetina em N. innocentii. Estes resultados sugerem que a N. innocentii pode ser uma excelente fonte para a produção de quercetina in vitro usando o extrato fermentado de GA3.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectTesespt_BR
dc.titleAtividade antioxidante,teor de quercetina e desenvolvimento de meio de cultura a base de vinhaça para micropopagação de plantaspt_BR
dc.typeTesept_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record