Show simple item record

dc.contributor.authorCarneiro, Juliane Castropt_BR
dc.contributor.otherLamour, Marcelo Renatopt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciencias da Terra. Programa de Pós-Graduaçao em Sistemas Costeiros e Oceanicospt_BR
dc.date.accessioned2014-01-16T14:38:40Z
dc.date.available2014-01-16T14:38:40Z
dc.date.issued2013pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/34592
dc.description.abstractResumo: Estuários funcionam como ambientes deposicionais permanentes, e simultaneamente, como exportadores de sedimentos, suprindo os sistemas adjacentes (as praias e o oceano aberto) com material sedimentar necessário para a estabilidade dos processos físicos naturais. Nesse contexto, o Complexo Estuarino de Paranaguá (CEP) está localizado na porção centro-norte do litoral paranaense, com uma área superficial aproximada de 612 km2, e com dois eixos principais, denominados de baías das Laranjeiras (N-S) e de Paranaguá (E-W). Possui importância ecológica e econômica, pois há Unidades de Conservação (UCs) e portos implicando em conflitos gerados pelas relações ambientais entre as duas atividades. Nesse sentido, estudos de sedimentologia, evolução e transporte sedimentar se tornam necessários para avaliar os seus efeitos no ambiente estuarino. Os objetivos deste trabalho foram determinar mudanças nos padrões de distribuição granulométrica de curto prazo (45 anos), encontrar fácies sedimentares por redes neurais não supervisionadas e as implicações nas tendências de transporte sedimentar no eixo E-W do CEP. Para tanto, foi realizada a setorização das características granulométricas em diferentes conjuntos de dados (1966, 1995 e 2012) buscando estabelecer uma evolução para as tendências de transporte sedimentar. Este trabalho pretende contribuir para a aquisição de dados ambientais, de forma a fomentar estudos ecológicos e diagnósticos ambientais das UCs de marcadas na região, além de auxiliar no entendimento dos processos atuantes na distribuição sedimentar e preenchimento deste estuário, aporte sedimentar e como tanto as atividades antrópicas (agricultura e dragagens) quanto naturais (geologia, geomorfologia, tipologia de solos, correntes de maré e bacias de drenagem) modificam, em diferentes escalas, os padrões de distribuição sedimentar em estuários.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectDissertaçõespt_BR
dc.titleDinâmica sedimentar das Baías de Antonina e Paranaguá (Paraná, Brasil) com base nas tendências de transporte de sedimentospt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record