Show simple item record

dc.contributor.advisorAuer, Celso Garciapt_BR
dc.contributor.authorGomes, Nei Sebastiao Bragapt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências Agrárias. Programa de Pós-Graduação em Engenharia Florestalpt_BR
dc.date.accessioned2013-12-20T15:10:31Z
dc.date.available2013-12-20T15:10:31Z
dc.date.issued2005pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/34232
dc.description.abstractA podridão de raízes denominada armilariose é uma doença causada por fungos do gênero Armillaria, encontrada em plantios de pínus na região Sul do Brasil e, apresenta sintomas de amarelecimento de acículas, declínio, exsudação de resina e morte. Poucos estudos foram desenvolvidos com a etiologia e as medidas de controle em condições brasileiras. A incidência da doença em plantios jovens (1 a 7 anos) pode chegar a 8,5% e em plantios com até 25 anos de idade pode atingir 20% de mortalidade, em média, mostrando a sua importância para o setor florestal, o que fez necessário o desenvolvimento deste trabalho. Os objetivos foram (1) a etiologia, (2) epidemiologia, danos e perdas econômicas e, (3) delinear um método de controle para a armilariose. Os levantamentos de incidência foram realizados em plantios comerciais nos municípios de Castro e União da Vitória (estado do Paraná) e Calmon (estado de Santa Catarina), na forma de parcelas permanentes. A identificação da espécie de Armillaria foi feita através de pareamento de isolados e biologia molecular. Foi possível descartar a possibilidade de Armillaria mellea (Vahl: Fr.) P. Kumm., estar presente na região Sul do Brasil e o agente causal foi identificado como Armillaria luteobubalina (Kile e Watling). A temperatura ótima verificada entre os isolados estudados foi de 22 ºC. A distribuição espacial da armilariose ocorreu de forma agregada nas parcelas. A incidência em P. elliottii var. elliottii manteve-se progressiva, enquanto que em P. taeda o ataque foi maior na fase inicial, confirmando a maior suscetibilidade de P. elliottii var. elliottii. A redução na produção de madeira variou entre 5 e 21 %, impactando negativamente a renda dos silvicultores. O controle biológico (formaldeído mais Trichoderma viride) em grãos de trigo em fase inicial de ataque nos plantios jovens foi considerado eficientept_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectFungos fitopatogenicos - Brasil, Sulpt_BR
dc.subjectPinus elliottii - Doenças e pragas - Brasil, Sulpt_BR
dc.subjectPinus taeda - Doenças e pragas - Brasil, Sulpt_BR
dc.subjectTesespt_BR
dc.titleArmilariose em Pinus elliottii e Pinus taeda na regiao sul do Brasilpt_BR
dc.typeTesept_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record