Show simple item record

dc.contributor.authorCastro, Marcos dept_BR
dc.contributor.otherGonçalves, Sandro Aparecidopt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciencias Sociais Aplicadas. Programa de Pós-Graduaçao em Administraçaopt_BR
dc.date.accessioned2013-11-08T12:00:12Z
dc.date.available2013-11-08T12:00:12Z
dc.date.issued2013-11-08
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/33332
dc.description.abstractResumo: Durante a década de 2000, o estado do Paraná passou por um intenso processo de disseminação do conceito de APL que compreendeu essencialmente a identificação de regiões produtivas para o desenvolvimento de ações de apoio envolvendo, também, a articulação entre atores em várias esferas. Uma característica marcante dos arranjos produtivos locais é a sua diversidade de atores. Reconhecendo tal diversidade, este estudo adota a perspectiva institucional e uma concepção de ambiente em termos de fenômenos objetivos, mas sujeitos a diferentes interpretações por parte dos atores, admitindo-se que um conjunto tangível de fatores externos têm seu significado organizacional subjetivamente estabelecido, em que distintos grupos de atores podem perceber de forma diferente o mesmo contexto institucional, resultando em ações diversas na dinâmica do relacionamento entre organização e o seu ambiente. Diante disso, o estudo se volta para os arranjos produtivos locais do estado do Paraná com o propósito de investigar como o compartilhamento dos valores do contexto institucional de referência de diferentes grupos de atores se relaciona com a governança e os processos de cooperação e competição. Para tanto, adotou-se métodos qualitativos e quantitativos de coleta em uma pesquisa exploratório-descritiva para a investigação do problema evidenciado em três arranjos paranaenses: Móveis de Arapongas, Malhas de Imbituva e Software de Londrina. Os resultados apontaram que os atores responsáveis pela disseminação do conceito de APL no estado possuem contexto institucional de referência internacional, coincidindo com dois arranjos (Arapongas e Imbituva), outro arranjo (Londrina) apresentou o contexto nacional como predominante. A análise comparativa dos APLs a partir os elementos que compõem a governança e a dinâmica da cooperação e competição, evidenciou que o arranjo de Arapongas apresenta diferenças significativas com os demais. A análise dos valores que compõem o contexto institucional de referência de cada grupo de atores permitiu identificar diferenças em termos de origem das pressões percebidas, de forma que os atores que propõem o modelo são mais influenciados por valores de caráter institucional enquanto que as empresas que compõem os arranjos são predominantemente pressionadas por aspectos do ambiente técnico. Também se evidenciou que a maior presença dos elementos característicos da governança de redes estava positivamente relacionada com os efeitos dos processos de cooperação e competição nos arranjos. Ademais, o estudo evidenciou que o compartilhamento de valores referentes à cooperação afeta positivamente a configuração da governança e os processos de cooperação e competição nos arranjos pesquisados. A contribuição da tese se dá em duas frentes: a primeira delas diz respeito à identificação de um padrão demonstrando que a ação coletiva é afetada pelo compartilhamento de valores do contexto institucional de referência, neste caso, a cooperação; a segunda contribuição diz respeito à ênfase dada ao cotidiano das instituições em que se privilegia o ator em seu contexto local. Isso permitiu evidenciar que são as interações no nível local que permitem que o conceito de APL ganhe concretude.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectTesespt_BR
dc.titleContexto institucional de referência, governança de redes e processos de cooperação e competiçãopt_BR
dc.typeTesept_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record