Show simple item record

dc.contributor.advisorFernandes, Luiz Cláudio, 1960-pt_BR
dc.contributor.authorTanhoffer, Ricardo Antôniopt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências Biológicas. Programa de Pós-Graduação em Educação Físicapt_BR
dc.date.accessioned2018-04-05T13:40:42Z
dc.date.available2018-04-05T13:40:42Z
dc.date.issued2004pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/33088
dc.descriptionOrientador : Luiz Cláudio Fernandespt_BR
dc.descriptionDissertaçao (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciencias Biológicas, Programa de Pós-Graduaçao em Educaçao Física. Defesa: Curitiba, 2004pt_BR
dc.descriptionInclui bibliografiapt_BR
dc.descriptionÁrea de concentraçao: Exercício e esportept_BR
dc.description.abstractResumo: A lesão medular (LM) é uma patologia altamente incapacitante e constitui verdadeiro desafio à reabilitação, devido aos problemas sensitivos, motores e alterações viscerais importantes. As principais conseqüências da LM são a disfunção do sistema nervoso autonômico e a paralisia dos músculos e perda da sensibilidade inervadas pelo segmento lesado e imediatamente abaixo deste nível. Em adição, o lesado medular convive com uma série de fisiopatologias secundárias, entre elas, a incidência de infecções, estas sendo a principais causas de morbidade e mortalidade nessa população. A glutamina é o aminoácido mais abundante no plasma e tecidos, sendo o principal sítio de síntese a musculatura esquelética (ME) ativa. Glutamina tem estreita relação com a manutenção da imunocompetência, por ser amplamente utilizada pelas células de divisão rápida, ex. linfócitos. O objetivo deste trabalho foi verificar se a perda do controle motor da musculatura dos membros inferiores alterariam as concentrações do aminoácido glutamina no plasma e nos músculos de animais lesados medular, nas fases aguda (48 horas pós lesão) e secundária, ou semi-aguda (cinco dias pós lesão), bem como seus efeitos sobre parâmetros imunitários, em ratos. Para causar a LM, os ratos foram submetidos à laminectomia entre a 3a a 4a vértebras e em seguida efetuada a transecção da medula espinhal. A LM promoveu redução da massa corpórea (13%) quando comparada ao controle ao final de 5 dias. A concentração de glutamina no plasma no 2o dia e 5º dia foi significativamente menor quando comparado ao controle (p<0,01). Músculo vermelho tem perda significativa de glutamina (p<0,01) assim como a porção branca do gastrocnêmio (p<0,001), possivelmente por tratarem-se de membros que foram desnervados, já que o epitroclearis não sofreu o mesmo fenômeno. Os macrófagos tiveram sua capacidade fagocítica e volume lisossomal significativamente reduzidos no 2o. dia, mas elevou-se acima do controle no 5o dia (p<0,001), caracterizando um efeito rebote em sua resposta. A Produção de O2- elevou-se no 2o dia (p<0,001) mas foi similar à do controle no 5o dia. Interessantemente a produção de H2O2 não se alterou no 2o e 5o dia. A população de linfócitos CD4 teve redução discreta, porém não significativa (p>0,05), mas a de CD8 estava reduzida significativamente quando comparada aos controles, sugerindo que a LM altera as populações Th-1/Th-2. Conclui-se a LM agudamente reduz a glutaminemia e a concentração de glutamina nos membros desnervados, e isto foi acompanhado por modificação importante da resposta imunitária.pt_BR
dc.description.abstractAbstract: Spinal cord injury (SCI) is a great challenge to rehabilitation. Skeletal muscle paralysis and autonomic dysfunction are two major features due SCI. Indeed, individuals with SCI develop other diseases such autonomic disreflexia, osteoporosis, and sepsis. In addition, this population present high incidence of infections. Glutamine is the most abundant amino acid on plasma and tissues and the main site of synthesis is the skeletal muscle. Glutamine is very important to immune cells for immunoconpetence. This study aimed to investigate whether skeletal muscle paralysis changes glutamine concentration in the plasma and also in skeletal muscle in rats subjected to SCI in acute (48 hours after trauma) and secondary (5 days after surgery) phases, as well as the effect on immune response. The glutamine plasma concentration in SCI was decreased at second and fifth days (p<0,01) when compared to control. Type I and II skeletal muscle fibers showed glutamine levels reduction in comparison with control and sham operated groups. Phagocytosis and lysosome volume were reduced at second day, but at fifth day they increased dramatically beyond control values (p<0,001). The O2 - production was increased at second day but returned to control values at the 5th. day. There was no change in the H202 production between the groups. The CD4 T-lymphocytes population did not change in numbers (p>0,05) but the CD8 was significantly decreased (p<0,001) in SCI as compared to intact animals. Our results suggest that SCI causes limb denervation which could be responsible for the glutamine reduction in plasma and skeletal muscle. Furthermore, the immune response was reduced in CD8 lymphocytes population and dual response in some macrophages immune parameters.pt_BR
dc.format.extentxii, 89p. : il.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.relationDisponivel tambem em formato digitalpt_BR
dc.subjectGlutaminapt_BR
dc.subjectSistema nervosopt_BR
dc.titleEfeito da lesao medular em ratos sobre a concentraçao plasmática e tecidual de glutamina e sobre a resposta imunitária de macrófagos e linfócitospt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record