Show simple item record

dc.contributor.advisorCunha, João Carlos da, 1949-pt_BR
dc.contributor.authorBrito, Simone dos Reispt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciencias Sociais Aplicadaspt_BR
dc.date.accessioned2013-10-24T12:19:16Z
dc.date.available2013-10-24T12:19:16Z
dc.date.issued2013-10-24
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/32772
dc.description.abstractResumo: Nas últimas décadas a inovação tecnológica tem sido considerada um dos fatores críticos para o sucesso e sustentação da competitividade organizacional no longo prazo, estando associada a aumentos de produtividade e melhorias na qualidade de produtos, serviços e processos. Este estudo analisa o fenômeno da inovação tecnológica em indústrias maduras, procurando encontrar relacionamentos entre o estágio do ciclo de vida da indústria e a sua dinâmica tecnológica. O estudo adota como referência os modelos clássicos de dinâmica da inovação, os quais apresentam as indústrias maduras como menos inovadoras do que as indústrias mais jovens. As indústrias maduras têm sido tema de estudos recentes, principalmente, pela sua representatividade econômica para diversos países e pela emergência de novas tecnologias, entre elas as de informação, que surgem como possíveis modificadoras das tradicionais estruturas organizacionais, possibilitando, em alguns casos, um processo de rejuvenescimento ou de "de-maturação". Por meio de estudo de casos aplicado a três empresas pertencentes à indústria da soja, buscou-se verificar se o comportamento tecnológico dessas empresas, consideradas maduras, poderia ser explicado, ou não, pelos pressupostos defendidos por modelos clássicos de dinâmica da inovação. A análise do comportamento inovador consistiu na descrição de como o processo de inovação tecnológica se deu nas empresas pesquisadas, baseando-se no delineamento do perfil tecnológico dessas empresas e em informações sobre o número de inovações adotadas, as características das inovações (produto, processo, radical e incremental), a origem da inovação (interna ou externa) e o fator motivador da inovação. O estudo evidenciou que as tecnologias básicas de processamento da soja, pouco influenciaram na determinação do comportamento inovador dessas empresas, tendo em vista que as modificações significativas nessas tecnologias foram poucas desde a década de 60. De modo geral, nessas tecnologias, as inovações se apresentaram sob a forma incremental, visando sempre a redução de custos, os aumentos de eficiência do processo e a economia de energia (calor, vapor, elétrica). Constatou-se, também, que o comportamento tecnológico das empresas pesquisadas pode ser explicado somente em parte pelos modelos clássicos de dinâmica da inovação, tendo em vista a representatividade das inovações em produtos e das inovações radicais em relação ao número total de inovações realizadas.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectIndústria - Inovações tecnologicaspt_BR
dc.subjectSoja - Industriapt_BR
dc.subjectInovações tecnológicaspt_BR
dc.titleAdoçao de inovaçao tecnológica na indústria madurapt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record