Show simple item record

dc.contributor.advisorServa, Mauriciopt_BR
dc.contributor.authorFerreira, Joel Lincoln Oliveirapt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciencias Sociais Aplicadaspt_BR
dc.date.accessioned2013-10-24T12:14:14Z
dc.date.available2013-10-24T12:14:14Z
dc.date.issued2013-10-24
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/32770
dc.description.abstractResumo: A presente dissertação, sob enfoque crítico, tem o propósito de levantar e estabelecer as relações entre as exigências organizacionais ao gerente moderno e o fenômeno workaholic, identificando algumas implicações na vida do indivíduo. Tendo em vista a estreita ligação entre contexto e as teorias gerenciais este trabalho busca evidenciar tal ligação, fazendo um levantamento sócio-econômico e histórico, do século passado até os dias atuais e as exigências feitas ao gerente. Analisa as relações de influências mútuas entre contextos, teorias organizacionais, exigências aos gerentes e fenômeno workaholic. A partir da literatura existente, caracteriza-se o workaholism como: trabalhadores que gastam grande parte de seu tempo em atividades de trabalho, dando-lhe demasiada importância, abdicando de outros aspectos sociais; que persistente e freqüentemente pensam em trabalho, mesmo quando não estão no trabalho; trabalham além do que é razoavelmente esperado do cargo que ocupam ou para atender suas necessidades econômicas básicas; mesmo reconhecendo o excesso de trabalho, não conseguem controlar ou reduzir; perfeccionista, apresentando necessidade de estar no controle e domínio do ambiente; e respondem positivamente à competição. As suas exigências atuais do cargo comportam os seguintes elementos: a aceitação do risco; a complexidade; a flexibilidade; o curto prazo; ritmo acelerado; carga de trabalho; e a necessidade de ser vitorioso e exemplo para os demais trabalhadores. Esta relação foi investigada, utilizando-se uma série de entrevistas semi-estruturadas e abertas, observações livres e análises de documentos. O foco de estudo foi o gerente, aquele que ocupa cargo de comando, toma decisões e tem certo grau de responsabilidade acumulada, em configuração relativamente ampla do cenário nacional, porquanto a pesquisa de natureza descritivo-exploratória foi feita com oito gerentes de empresas de segmentos e ramos diferentes, espalhados pelo Brasil: um gerente em Feira de Santana (BA); um em Camaçari (BA); um em Salvador (BA); dois no Rio de Janeiro, capital; um na cidade de São Paulo e dois em Curitiba (PR), durante o período de novembro de 2002 a abril de 2003. Os resultados da pesquisa demonstram que o ambiente de trabalho dos gerentes é complexo, competitivo, dinâmico, instável, mutante, em constante processo de redução do número de trabalhadores e pressão para alcance de resultados, corroborando a fundamentação teórica. Foram identificados elementos característicos do workaholic nos comportamentos dos gerentes pesquisados; estes apresentam-se, de forma acentuada, com as exigências discutidas no trabalho. Com os resultados também é possível evidenciar que as exigências atuais ao gerente estabelecem relações com algumas características do workaholism: têm implicações na vida desses indivíduos nos níveis físico, psíquico e social; tal fato organizacional apresentase como tendência a se demudar em regra, merecendo, desta maneira, mais atenção e estudos futuro numa dimensão de fenômeno social.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectTrabalho - Comportamento compulsivopt_BR
dc.subjectTrabalho - Aspectos psicologicospt_BR
dc.subjectGerentespt_BR
dc.subjectStress ocupacionalpt_BR
dc.titleO fenômeno workaholic na gestaopt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record