Show simple item record

dc.contributor.authorBettio, Stéfani dept_BR
dc.contributor.otherMaiorka, Alexpt_BR
dc.contributor.otherSilva, Bruno Alexander Nunespt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciencias Agrárias. Programa de Pós-Graduaçao em Ciencias Veterináriaspt_BR
dc.date.accessioned2013-10-18T13:30:39Z
dc.date.available2013-10-18T13:30:39Z
dc.date.issued2013-10-18
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/32585
dc.description.abstractResumo: Objetivou-se neste trabalho avaliar o impacto da restrição alimentar durante a lactação e diferentes percentuais de proteína na dieta de gestação, com ou sem a suplementação de aminoácidos industriais, na condição e composição corporal das porcas e desempenho das leitegadas. Foram utilizadas 120 fêmeas suínas TOPIGS 20 distribuídas em delineamento inteiramente casualizado, em esquema fatorial 2 x 3, sendo 2 níveis de mobilização corporal (alta e baixa) durante a lactação anterior e 3 dietas na gestação (dieta NP - proteína normal: 14,7% de PB; dieta AP - alta proteína: 18,6% de PB; e dieta BP + AAs: 14,0% de PB), sendo cada animal considerado uma unidade experimental. Foram coletadas medidas de peso corporal, espessura de toucinho, fezes, urina e sangue dos animais. As análises estatísticas foram feitas incluindo os efeitos de ordem de parto (OP), de grupo ou semana de entrada no experimento (G), dos tratamentos na lactação (TL), dos tratamentos na gestação (TG) e suas interações (TL x TG) como efeito fixo. Durante a lactação, porcas restritas produziram menos leite, mas foram mais eficientes energeticamente. O peso e a espessura de toucinho das fêmeas foram menor ao desmame, e a perda de peso, proteína, lipídeos, energia e espessura de toucinho durante a lactação foi maior no grupo restrito. O ganho de peso da leitegada foi maior para o grupo normal. Durante a lactação subsequente, as porcas que sofreram restrição de ração tiveram menor número de leitões, mas não foi estatisticamente significativo. As porcas que sofreram catabolismo mais severo durante a lactação anterior recuperaram suas reservas de proteína e gordura nos primeiros 35 dias de gestação e a suplementação de aminoácidos industriais pode ser utilizada como estratégia nutricional, tendo em vista que ao final da gestação não houve diferenças entre os tratamentos para as variáveis estudadas.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectDissertaçõespt_BR
dc.titleReconstituição de reservas corporais em fêmeas suínas durante a gestaçãopt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record