Show simple item record

dc.contributor.advisorBulgacov, Sergio, 1950-pt_BR
dc.contributor.authorOliveira, Gustavo Luiz Moreira dept_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciencias Sociais Aplicadaspt_BR
dc.date.accessioned2013-10-16T15:30:18Z
dc.date.available2013-10-16T15:30:18Z
dc.date.issued2013-10-16
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/32554
dc.description.abstractResumo: O objetivo desde trabalho foi verificar qual o impacto das principais forças ambientais sobre as estratégias de três empresas nacionais de transporte aéreo regular de passageiros, quais sejam Viação Aérea Rio Grandense (VARIG), Viação Aérea São Paulo (VASP) e GOL Transportes Aéreos no decorrer dos anos de 2000 a 2002. O método que caracteriza esta pesquisa é o estudo comparativo de casos, com amplitude longitudinal. Foram utilizadas múltiplas fontes de evidência, sendo os dados primários coletados mediante entrevistas semi-estruturadas realizadas com dirigentes do nível estratégico das organizações objeto do estudo. Já os dados secundários foram obtidos através de jornais e revistas de grande circulação nacional, folders e material de marketing das empresas pesquisadas, além de sites como o do Departamento de Aviação Civil (DAC), órgão governamental que regulamenta o setor, e do Sindicato Nacional das Empresas Aeroviárias (SNEA), representante das companhias aéreas. Quanto à análise dos dados, foi realizada conforme a metodologia adequada para estudos de cunho qualitativo-descritivo, com a utilização de técnicas de análise de conteúdo (dados primários), análise documental (dados secundários) e triangulação de dados, buscando-se com isso: (i) identificar a estratégia de nível empresarial e de negócio das organizações em estudo no ano de 1999; (ii) identificar as principais forças ambientais que impactaram nessas organizações no período de 2000 a 2002; (iii) verificar a influência de um novo entrante sobre as estratégias das organizações estabelecidas; (iv) identificar e classificar os principais recursos estratégicos possuídos pelas organizações estudadas; (v) identificar mudanças na estratégia empresarial e de negócio dessas organizações no período de 2000 a 2002; e, (vi) verificar a existência de alterações na estratégia empresarial e de negócio das organizações em estudo decorrentes da atuação das principais forças ambientais identificadas. No que concerne aos resultados obtidos, verificou-se que a variação cambial e a concorrência foram as duas forças ambientais de maior expressão citadas pela VARIG e VASP, embora com intensidades distintas. Já no caso da GOL, a única força identificada foi a retaliação dos concorrentes. Quanto à influência dessas forças sobre as organizações, verificou-se que a VARIG e a VASP implementaram mudanças na estratégia em decorrência de sua atuação, ao passo que na GOL nenhum tipo de alteração estratégia foi verificada. No que tange à influência da entrada de um novo concorrente no setor, especificamente a GOL, verificou-se que esse evento ocasionou a emissão de reações por parte das companhias estabelecidas antes mesmo que a nova empresa iniciasse suas atividades e continuou por todo o período em estudo. Em relação à posse e utilização de recursos estratégicos para a obtenção e/ou manutenção de vantagens competitivas, foram identificados para cada organização estudada os principais elementos que as permitiam alcançar tal objetivo. Com isso, concluiuse que apenas a análise da indústria não era condição suficiente para assegurar uma posição concorrencial sustentável e, por isso, a adequada utilização dos recursos estratégicos recebeu destaque por parte de todas as empresas pesquisadas.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectDesenvolvimento organizacionalpt_BR
dc.subjectClima organizacionalpt_BR
dc.subjectAeronautica comercialpt_BR
dc.titleForças ambientais e mudança estratégicapt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record