Show simple item record

dc.contributor.advisorMatos, Jorge Luis Monteiro de, 1960-pt_BR
dc.contributor.authorPuehringer, Carlos Augustopt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciencias Agrárias. Programa de Pós-Graduaçao em Engenharia Florestalpt_BR
dc.date.accessioned2013-10-08T20:02:42Z
dc.date.available2013-10-08T20:02:42Z
dc.date.issued2013-10-08
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/32339
dc.description.abstractA aplicação de tecnologias inovadoras como a de emissão de ondas de tensão na avaliação da qualidade da madeira, pode transformar em material de maior valor econômico para outros setores, as árvores plantadas comercialmente para produção de fibras, ampliando substancialmente o mercado para a madeira. Como objetivo deste trabalho tem-se: Avaliar a eficiência da utilização do método não destrutivo de emissão de ondas de tensão na qualificação de árvores, toras, tábuas e lâminas de madeira de Pinus taeda. Foram utilizadas 25 árvores para realização das medidas efetivas de propagação de ondas acústicas com o aparelho Stress Wave Timer METRIGUARD, modelo 239A. Adotou-se com base na fase preliminar do experimento (13 árvores) os seguintes procedimentos: construção e utilização de aparato com objetivo de padronizar a força de impacto para emissão da onda de tensão; realização da aplicação e recepção das ondas de tensão nas árvores em pé na altura do DAP diretamente na madeira, procedendo à prévia retirada da casca; realização da tomada da onda de tensão em três posições: "horizontal", "diagonal" e "vertical". Nas toras traçadas, procedeu-se à aplicação da onda de tensão no sentido de seu comprimento (longitudinal), em duas faixas: próximo à medula, e próximo à casca, e ainda através da medula. A tomada nas lâminas das leituras de propagação das ondas de tensão deu-se nos sentidos longitudinal e transversal às fibras, posicionando os transdutores no ponto médio do comprimento e largura das mesmas. A tomada, nas tábuas, das leituras de propagação das ondas de tensão realizou-se no sentido longitudinal às fibras. Na fase 1 as lâminas foram classificadas visualmente pelas funcionárias da laminadora em duas classes: A e B. Os melhores valores obtidos a um nível de significância de 95%, foram: de 796/0 entre as variáveis volume de lâminas classe A e a propagação da onda de tensão na árvore em pé, na altura do DAP; de -84% entre as leituras de tempo de propagação da onda de tensão nas lâminas classe B no sentido longitudinal e nas toras de 2,6 m na região de aplicação da onda próximo à medula; e ainda de -92% entre as velocidades de propagação da onda nas lâminas classe A no sentido transversal às fibras e nas toras de 2,6 m na região de aplicação da onda próximo à medula. Na fase 2, com relação à aplicação do impacto na árvore em pé do martelo emissor da onda de tensão, a melhor alternativa é fazê-lo no sentido diagonal por este apresentar menor coeficiente de variação, e consequentemente medidas mais homogêneas. Nas toras, a emissão da onda de tensão pelo impacto é recomendada no sentido cruzado, através da medula, entre a emissão e recepção da onda. Concluiu-se que há eficiência no sortimento em classes de qualidade das árvores primeiramente, pelo método não destrutivo, resultando na correlação entre estas e seus produtos: toras, tábuas e lâminas. Recomenda-se ainda que seja realizado o estudo com o material após secagem (tábuas e lâminas), para verificar a influência da umidade neste processo e método de avaliação de qualidade da madeira.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectMadeira - Qualidadept_BR
dc.subjectPinus taedapt_BR
dc.subjectOndas - Tensãopt_BR
dc.subjectTesespt_BR
dc.subjectEmissão acusticapt_BR
dc.titleUso de emissao de ondas de tensao para avaliaçao nao destrutiva de árvores e da madeira de Pinus taeda L."pt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record