Show simple item record

dc.contributor.authorMarchesini, Isabella Alvespt_BR
dc.contributor.otherTavares, Sérgio Fernando, 1960-pt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Tecnologia. Programa de Pós-Graduação em Engenharia da Construção Civilpt_BR
dc.date.accessioned2013-10-07T13:10:03Z
dc.date.available2013-10-07T13:10:03Z
dc.date.issued2013-10-07
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/32300
dc.description.abstractResumo: As edificações, quando não são projetadas pensando em soluções mais sustentáveis, podem possuir uma alta energia final em seu ciclo de vida. A exclusão de determinados componentes no estudo do ambiente construído, tais como mobiliário e acessórios, pode causar grandes variações na quantificação da energia embutida da edificação. Com o objetivo de tornar a edificação mais sustentável, esta dissertação apresenta a quantidade de energia embutida no mobiliário em MDF de um escritório comercial e descreve a influência desta energia embutida na energia total da construção a qual suporta este escritório. O método utilizado para encontrar a energia embutida dos móveis é híbrido envolvendo análise de processos e análise estatística. Os dados para energia embutida de montagem deste mobiliário são adquiridos através da Análise de processos realizada in loco em uma fábrica de mobiliário; os demais são selecionados da bibliografia. São consideradas as fases de extração de matéria-prima, fabricação e transporte dos materiais que compõem os móveis e construção. O valor da energia embutida no mobiliário é comparado às demais energias consumidas em uma edificação hipotética onde está inserido o escritório comercial com o mobiliário estudado. Desta forma se tem a ideia do quanto a energia embutida dos móveis influencia na energia de uma construção. Encontrou-se uma energia embutida no mobiliário de 2,0 GJ/m², sendo 1,24 GJ/m² correspondente à energia recorrente, uma energia embutida dos materiais não mobiliário da edificação de 10,03 GJ/m² e uma energia operacional para 50 anos de vida útil de 12 GJ/m². Portanto a energia embutida no mobiliário corresponde a 8,3% da energia total consumida no ciclo de vida da edificação e 20% da energia embutida restante sendo considerada significativa, principalmente quando considerada a parcela referente à energia recorrente do mobiliário, ou seja, a energia gasta para substituição de móveis e seus acessórios, conclui-se que quanto maior a vida útil do mobiliário menor será a sua energia embutida final e consequente influência na energia total consumida na edificação.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectDissertaçõespt_BR
dc.titleAnálise da influência do mobiliário em MDF no ciclo de vida energético da edificaçãopt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record