Show simple item record

dc.contributor.advisorSilva, Clovis Luiz Machado dapt_BR
dc.contributor.authorBarbosa, Solange de Limapt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciencias Sociais Aplicadaspt_BR
dc.date.accessioned2013-09-19T18:42:26Z
dc.date.available2013-09-19T18:42:26Z
dc.date.issued2013-09-19
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/32126
dc.description.abstractResumo: No processo de competição, as organizações precisam estar sempre atentas às variações ambientais. Mudanças em padrões de consumo, nos índices econômicos e a entrada de novos concorrentes são alguns dos fatores que devem ser analisados antes de tomarem-se as decisões estratégicas, mas não são os únicos. A ênfase dada à eficiência operacional tem ocasionado a compreensão da competitividade com base apenas em fatores relativos ao ambiente técnico. Sob essa ótica, a competitividade seria derivada da excelência empresarial no desempenho de atividades que podem ser econômica ou financeiramente mensuradas. Entretanto têm-se razões suficientes para acreditar que a competitividade de uma organização não depende apenas desses fatores, mas de uma conduta socialmente valorizada e aceita que garanta a sua legitimidade e sobrevivência no ambiente em que atua. Esse tipo de demanda constitui o chamado ambiente institucional e, sob essa ótica, a competitividade derivaria não apenas da excelência empresarial do ponto de vista econômico, mas também a prática de ações consideradas adequadas e relevantes para o setor e sociedade nos quais a empresa compete. As organizações trabalham sob níveis diferentes de pressões ambientais - técnicas e institucionais - segundo a natureza de suas atividades e o seu mercado. Neste estudo procurou-se verificar em que tipo de ambiente as empresas do setor moveleiro atuam e quais são as pressões às quais devem adequar-se. Isso foi feito com o objetivo de identificar o modo como as empresas do setor estão desenvolvendo suas estratégias mediante tais demandas. Realizou-se, portanto, uma pesquisa exploratória no setor, para levantar os valores predominantes no ambiente a respeito da competitividade e as estratégias dessas organizações. Com base nesses valores, buscou-se construir arquétipos que representassem os padrões de competitividade instituídos nos três níveis do contexto ambiental: internacional, nacional e local/regional - para verificar uma possível influência da orientação organizacional dada a esses contextos sobre o seu posicionamento estratégico. Quatro grupos foram encontrados no setor, segundo a valorização dada aos diversos indicadores de competitividade propostos pelo questionário, o que revelou graus diferenciados de influência do ambiente técnico e do institucional dentro do mesmo setor. Essa constatação permitiu também que fossem apontadas as estratégias de competição predominantes nos grupos, evidenciando que a valorização e interpretação diversa das pressões ambientais podem causar formas específicas de competição e de posicionamento perante o conceito de competitividade.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectPlanejamento estrategicopt_BR
dc.subjectIndustria de moveispt_BR
dc.titlePadrões de competitividade e estratégias organizacionais na indústria moveleira no Paranápt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record