Show simple item record

dc.contributor.authorSilva, Delma Fabíola Ferreira dapt_BR
dc.contributor.otherCarvalho, Paulo Cesar de Facciopt_BR
dc.contributor.otherMoraes, Anibal de, 1956-pt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciencias Agrárias. Programa de Pós-Graduaçao em Agronomiapt_BR
dc.date.accessioned2013-09-19T15:56:31Z
dc.date.available2013-09-19T15:56:31Z
dc.date.issued2013-09-19
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/32123
dc.description.abstractResumo: Em sistemas de Integração Lavoura-Pecuária, a rotação de culturas faz com que na pastagem haja a presença de palhada. O objetivo geral desta dissertação foi avaliar se há diferenças no comportamento ingestivo dos animais em pastejo em pasto de azevém (Lolium multiflorum Lam.) em método de estabelecimento em semeadura direta ou em preparo convencional. O experimento foi realizado no Laboratório de Produçãoe Pesquisa em Ovinos e caprinos da Fazenda Experimental Canguiri da UFPR, entre julho e agosto de 2012. Os tratamentos consistiram de dois métodos de estabelecimento, semeadura direta e convencional, e quatro alturas de pasto (8, 16, 24 e 32 cm). Utilizou-se o delineamento de blocos completos casualizados em esquema fatorial com duas repetições. Foram utilizadas 3 ovelhas de 31 meses e peso médio de 73,2±3,9 kg. Os animais foram equipados com aparelho registrador de movimentos mandibulares. No pasto foram realizadas medições de alturas pré e pós-pastejo e amostragens para caracterização da massa de forragem e distribuição vertical dos componentes morfológicos. Observaram-se diferenças nas variáveis do pasto (lâminas foliares, pseudocolmos, material morto e outras espécies ) entre os dois métodos de estabelecimento do azevém. A massa do bocado não foi diferente entre os métodos de estabelecimento do azevém, e apresenta relação quadrática com a altura do pasto. Estes resultados sugerem que a presença da palhada no método de estabelecimento do azevém em semeadura direta não interferiu na profundidade do bocado, assim como a diferença de estrutura, pois se concentrava nos 50% inferiores do dossel do pasto. A taxa de bocados foi inferior no método de estabelecimento do azevém em preparo convencional, sendo esta diferença mais evidente nas alturas inferiores (8 e 16 cm). Resultado inverso foi observado na taxa de movimentos mandibulares de não bocados. Este resultado indica padrões de pastejo diferentes devido à presença de palhada e rebrote da camada de cobertura (Cynodon dactylon L Pers), ou seja, o método de estabelecimento do azevém em semeadura direta pode ter obrigado os animais a exercerem maior seletividade. A despeito de tal diferença, ela não foi suficiente para alterar a massa do bocado e, por conseqüência, não interferiu na taxa de ingestão, que também não apresentou diferença entre os métodos de estabelecimento do azevém (P=0,4583). Conclui-se que os animais não encontram limitações estruturais no método de semeadura direta, a ponto de impactarem na taxa de ingestão de forragem. A taxa de ingestão responde de forma quadrática em relação às alturas de pasto estudadas. Dessa forma, a meta para manejo de pastos de azevém anual visando maximizar a taxa de ingestão deve ter por base pastos com 18,5 cm de altura e esta meta não é alterada pelo método de estabelecimento do azevém.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectDissertaçõespt_BR
dc.titleA altura que maximiza a taxa de ingestão em azevém anual (Lolium multiflorum Lam.) é afetada pela existência de palhada quando o método de estabelecimento é em semeadura direta?pt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record