Show simple item record

dc.contributor.advisorLana, Paulo da Cunha, 1956-pt_BR
dc.contributor.authorOliveira, Veronica Maria dept_BR
dc.contributor.otherEibbye-Jacobsen,Dannypt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências Biológicas. Programa de Pós-Graduação em Zoologiapt_BR
dc.date.accessioned2018-02-06T17:54:02Z
dc.date.available2018-02-06T17:54:02Z
dc.date.issued2013pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/31874
dc.descriptionOrientador : Prof. Dr. Paulo da Cunha Lanapt_BR
dc.descriptionCo-orientador: Prof. Dr. Danny Eibbye-Jacobsenpt_BR
dc.descriptionTese (doutorado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Biológicas, Programa de Pós-Graduação em Zoologia. Defesa: Curitiba, 25/02/2013pt_BR
dc.descriptionBibliografia: fls. 259-278pt_BR
dc.description.abstractResumo: A família Phyllodocidae inclui 20 gêneros e 500 espécies descritas, das quais 350 são consideradas válidas. Até o presente apenas 7 gêneros e 16 espécies haviam sido registradas em águas brasileiras. Muitos destes registros são duvidosos ou disponíveis em teses ou outros documentos não publicados. Há poucos estudos taxonômicos que possibilitem de fato conhecer a real diversidade regional desta família. O presente trabalho teve por objetivo fazer um levantamento taxonômico das espécies da família Phyllodocidae das regiões sul e sudeste do Brasil, com base na revisão de espécies já descritas e no estudo de exemplares provenientes de coletas mais recentes. O material estudado provem de coleções de museus e de campanhas oceanográficas em estuários, áreas de plataforma continental, talude e cânions submarinos. Foram examinados 1030 indivíduos pertencentes a 13 gêneros e 49 espécies, das quais 37 são novas, 8 são novos registros e apenas 4 são espécies já registradas para a costa brasileira. Phyllodoce foi o gênero mais diverso com 8 espécies novas e 4 novos registros (Phyllodoce cf. hartmanae Blake & Walton, 1977, Phyllodoce longipes Kinberg, 1866, Phyllodoce cf. armigera (Blake, 1988) e Phyllodoce cf. pettiboneae (Blake, 1988), além da já registrada Phyllodoce madeirensis Langerhans, 1880. Phyllodoce cf. hartmanae havia sido descrita anteriormente como Anaitides tamoya Nonato, 1981 nomen nudum. São descritas 4 espécies novas de Hypereteone, uma delas equivocadamente registrada na literatura como Eteone alba Webster, 1879. Paranaitis apresenta 4 espécies novas. Eulalia apresenta 6 espécies das quais 4 são novas, além de Eulalia cf. myriacycla (Schmarda, 1861) que já havia sido registrada para costa brasileira e de Eulalia mexicana Fauchald, 1972, nova ocorrência para o Brasil. Eumida está representado por 2 espécies novas, sendo que Eumida sp. n. 1 já havia sido equivocadamente registrada como Eumida sanguinea (Örsted, 1843). Nereiphylla está representada regionalmente por Nereiphylla mimica Eibye-Jacobsen, 1992, que tem sua primeira ocorrência para o Brasil e Nereiphylla cf. fragilis (Marenzeller, 1879), antes descrita como Nereiphylla (Genetyllis ou Phyllodoce) castanea. Mystides apresenta 2 espécies novas. Protomystides apresenta 2 espécies novas, além de Protomystides bidentata (Langerhans, 1880), já registrada para o Brasil. Hesionura laubieri (Hartmann-Schröder, 1963), tal como previamente registrada no Brasil, é, na verdade, um complexo composto por mais cinco novas espécies além de H. laubieri sensu strito. Destaca-se também o primeiro registro dos gêneros Pterocirrus, Pirakia, ambos com novas espécies e de Sige, representado por Sige belizensis Eibye-Jacobsen, 1992. Nove das 20 espécies previamente registradas para o Brasil haviam sido equivocadamente identificadas e 6 não puderam ser revisadas ou não foram novamente localizadas. Mesmo com o aumento significativo do conhecimento proporcionado por este levantamento, a diversidade regional de Phyllodocidae é ainda baixa quando comparada com as áreas subtropicais e tropicais adjacentes, como as águas caribenhas.pt_BR
dc.description.abstractAbstract: The Phyllodocidae currently includes 20 genera and 350 valid species. As yet 20 species have been cited for Brazilian waters. Most of these records are doubtful or available only in unpublished theses. Based on newly collected material and museum collections, we present herein a taxonomic survey of phyllodocids from shallow waters, continental shelf bottoms and canyons off southeastern and southern Brazil. 1030 individuals belonging to 13 genera and 49 species were examined. 37 are new species, 8 are new records and 4 were already known from the region. Phyllodoce is the most diverse genus, with 8 new species, 4 new records (Phyllodoce cf. hartmanae Blake & Walton, 1977, Phyllodoce longipes Kinberg, 1866, Phyllodoce cf. pettiboneae (Blake, 1988) and Phyllodoce cf. armigera (Blake, 1988) and the previously reported Phyllodoce madeirensis Langerhans, 1880. Anaitides tamoya Nonato, 1981 nomen nudum is referred to P. hartmanae. Four new species of Hypereteone are described, including material previously identified as Eteone alba Webster, 1879, which actually corresponds to a new species. Four new species of Paranaitis are described. Four new species of Eulalia are described and Eulalia mexicana Fauchald, 1972 is recorded for the first time in Brazil; Eulalia cf. myriacycla (Schmarda, 1861), previously reported from Brazil, was also found. Eumida is locally represented by two new species, of which Eumida sp. n. 1 had been erroneously recorded as Eumida sanguinea. Nereiphylla mimica Eibye- Jacobsen, 1992 is newly reported for Brazilian waters and a previous record of N. castanea is corrected to Nereiphylla cf. fragilis (Marenzeller, 1879). Two new species of Mystides and two new species of Protomystides are described, together with P. bidentata, previously known from the region. A new species of Pseudomystides and five new species of Hesionura are also reported, together with the previously recorded H. laubieri. Sige belizensis Eibye-Jacobsen, 1992 is the first record of the species and the genus in Brazil. New species of Pirakia and Pterocirrus, genera previously unknown from Brazil, are described. 9 out of the 20 species previously known for Brazil had been in fact misidentified in previous works and 6 were not found in this survey. Despite the present additions, the diversity of phyllodocids along the Southwestern Atlantic is still low when compared to other subtropical and tropical areas, such as the Caribbean waters.pt_BR
dc.format.extent278f. : il. [algumas color.], grafs., maps., tabs.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.relationDisponível em formato digitalpt_BR
dc.subjectTesespt_BR
dc.subjectAnelideopt_BR
dc.subjectZoologia - Classificaçãopt_BR
dc.subjectZoologiapt_BR
dc.titleRevisão taxonômica de Phyllodocidae orsted, 1843 (Annelida: Polychaeta) das Regiões Sul e Sudeste do Brasilpt_BR
dc.typeTesept_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record