Show simple item record

dc.contributor.authorOliveira, Adeliton da Fonseca dept_BR
dc.contributor.otherFerreira, Luiz Danilo Damascenopt_BR
dc.contributor.otherAlves, Daniele Barroca Marrapt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciencias da Terra. Programa de Pós-Graduaçao em Ciencias Geodésicaspt_BR
dc.date.accessioned2013-08-09T14:12:11Z
dc.date.available2013-08-09T14:12:11Z
dc.date.issued2013-08-09
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/31786
dc.description.abstractResumo: Dentre os principais erros dependentes da distância, depois da ionosfera, a troposfera é a maior fonte de erros nas observáveis GNSS (Global Navigation Satellite Systems). O sinal emitido pela antena do satélite ao passar por essa camada sofre refração, o que acarreta mais tempo para o mesmo chegar até a antena do receptor GPS. O Atraso Zenital Total (ZTD), subdividido nas componentes úmida (ZWD) e hidrostática (ZHD), pode atingir magnitude de até 0,35 m e 2,3 m respectivamente, podendo aumentar dez vezes próximo ao horizonte. Utilizando dados de múltiplas estações de referência é possível obter acuracidade a nível centimétrico. Além disso, esses dados possibilitam a modelagem dos erros espacialmente correlacionados (ionosfera, troposfera e erro de órbita). Dentre os diversos métodos atualmente desenvolvidos para formular correções a partir de dados de estações de referência, merece destaque a VRS (Virtual Reference Station). No conceito de VRS, os dados de uma estação base que não existe fisicamente são gerados nas proximidades do usuário. Nessa pesquisa o objetivo era atuar na modelagem da troposfera. Assim, para atenuar tal efeito empregou-se o modelo empírico de Hopfield e os modelos dinâmicos de PNT (Previsão Numérica de Tempo) desenvolvidos em centros de pesquisa como o INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) e ECMWF (European Centre for Medium-Range Weather Forecasts). Com base nos modelos troposféricos existentes, buscou-se avaliar o comportamento do EMQ (Erro Médio Quadrático) nas coordenadas finais das VRSs geradas. Nos modelos foram utilizadas as funções de mapeamento de Niell e VMF1 (Vienna Mapping Function 1). Assim, no primeiro experimento foram realizados testes comparativos nas quatro estações do ano com os modelos dinâmicos PNT/ECMWF e PNT/INPE, além do modelo teórico de Hopfield. É importante destacar que a função de mapeamento VMF1 foi implementada e testada para os diferentes modelos citados. Na análise de qualidade dos dados da VRS foi utilizado o método de PP (Posicionamento por Ponto) e PPP (Posicionamento por Ponto Preciso), com o quais foi possível analisar a qualidade dos dados da VRS. No método de PP verificou-se que a diferença entre os modelos de Hopfield e PNT/ECMWF atingiu magnitude de 6,8% com dados de 24 horas. Já no PPP, foram obtidas diferenças médias entre os modelos de Hopfield e PNT/INPE, de 15,47% utilizando 24 horas de dados. Em um segundo experimento avaliou-se a qualidade dos dados das VRS, a partir da variação do comprimento da linha de base entre a estação base da rede e a posição da VRS. Constatou-se que para menores distâncias entre a estação base e a posição da VRS melhores valores de EMQ são obtidos.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectDissertaçõespt_BR
dc.subjectSistema de Posicionamento Globalpt_BR
dc.subjectPesquisa geodesicapt_BR
dc.subjectTroposferapt_BR
dc.titleAnálise comparativa de diferentes modelos troposféricos para rtk em rede usando o conceito de estação de referência virtualpt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record