Show simple item record

dc.contributor.advisorRibeiro, Andrea Senffpt_BR
dc.contributor.authorBednaski, Aline Vianapt_BR
dc.contributor.otherChaim, Olga Meiript_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências Biológicas. Programa de Pós-Graduação em Biologia Celular e Molecularpt_BR
dc.date.accessioned2018-04-23T18:41:59Z
dc.date.available2018-04-23T18:41:59Z
dc.date.issued2013pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/31222
dc.descriptionOrientadora : Profª. Drª. Andrea Senff Ribeiropt_BR
dc.descriptionCo-orientadora : Profª. Drª. Olga Meiri Chaimpt_BR
dc.descriptionDissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Biológicas, Programa de Pós-Graduação em Biologia Celular e Molecular. Defesa: Curitiba, 28/02/2013pt_BR
dc.descriptionBibliografia: f. 83-95pt_BR
dc.descriptionÁrea de concentração: biologia celularpt_BR
dc.description.abstractResumo: No Paraná, ocorrem apenas quatro espécies de aranhas do gênero Loxosceles: L. gaucho, L. laeta, L. hirsuta e L. intermedia, sendo essa ultima espécie a mais abundante em Curitiba-PR e região metropolitana. Essas aranhas também são conhecidas como aranhas-marrons devido a sua coloração que varia de marrom claro a marrom escuro. Atualmente, acidentes com aranha-marrom é um problema de saúde publica devido aos inúmeros casos de envenenamento. O veneno dessas aranhas já foi caracterizado e diversas toxinas foram estudadas. Contudo, a hemolinfa de Loxosceles nunca foi pesquisada e de forma geral a hemolinfa de artrópodes é pouco investigada. Hemolinfa de diferentes animais tem sido alvo de estudos que envolvem diversas aplicações biotecnológicas, tais inibição de proteases e aplicação dos peptídeos antimicrobianos nas áreas médicas. Portanto, esse trabalho teve como objetivo determinar as características bioquímicas e biológicas da hemolinfa da aranha-marrom L. intermedia. A hemolinfa de L. intermedia apresentou um perfil proteico com amplo espectro de proteínas. O componente proteico mais representativo foi identificado na região de 66 kDa. Alguns autores mostraram que essa região refere-se às subunidades de hemocianina, que é a proteína mais abundante na hemolinfa dos artrópodes. Além disso, o perfil proteico apresentou outras duas bandas bem características da hemolinfa de outros artrópodes em 116 e 97 kDa. O perfil em gel 2D revelou que as proteínas totais da hemolinfa de L. intermedia estão distribuídas principalmente na faixa de pH ácido e neutro. A análise lipídica da hemolinfa foi realizada através de HPTLC e foram identificados fosfolipídios como fosfatidilcolina, fosfatidil-inositol e fostatidiletanolamina. Os esteróis identificados nesse trabalho foram colesterol, ergosterol e triacilglicerol; e não foram identificados glicolipídios. O perfil de glicosilação proteica foi avaliado através de Lectin Blot e as proteínas totais da hemolinfa de L. intermedia apresentaram resíduos de alta manose e N-acetilglucosamina. Não foram identificados resíduos de ácido siálico, corroborando com dados de glicosilação de toxinas do veneno dessa mesma aranha. Através de microscopia de luz foram identificados pró-hemócitos, que são células precursoras dos outros tipos celulares. Também foi constatada a presença de plasmatócitos e granulócitos, que são células envolvidas na imunidade inata, realizando fagocitose, nodulação, encapsulação e melanização. Esse trabalho foi o primeiro a estudar a hemolinfa da aranha-marrom caracterizando o perfil proteico, lipídico e de glicosilação de seus componentes. Além disso, a fração celular também foi investigada e diferentes hemócitos identificados. Dessa forma esse estudo inicia uma nova linha de pesquisa no estudo de Loxosceles, ampliando o conhecimento e as fontes naturais de moléculas bioativas com potenciais biotecnológicos.pt_BR
dc.description.abstractAbstract: In Paraná there are only four species of Loxosceles spiders: L. gaucho, L. laeta, L. hirsuta e L. intermedia, being the last one more abundant in Curitiba and metropolitan region. Loxosceles spiders are commonly known as brown spiders regarding their body color which ranges from a fawn to dark brown. The current increasing number of envenomations after brown spider accidents is a problem of public health. Venom from these spiders has already been characterized and a great number of toxins have been studied. However, Loxosceles hemolymph has never been investigated; and in general, hemolymph from arthropods are poorly studied. Hemolymphs from distinct animals have been focus of studies concerning biotechnology applications, such as inhibition of proteases and application of the antimicrobial peptides in the medical. Thus, this work aimed the determination of biochemical and biological characteristics of the hemolymph from L. intermedia brown spider. The protein profile of L. intermedia hemolymph presented a broad range of proteins. The major proteic component was detected at 66 kDa region. Some authors showed that this region is rich in hemocyanin subunits and that this protein is the most abundant component in arthropods hemolymph. Furthermore, the protein profile depicted two other bands, which are hallmarks in other arthropods hemolymph, in 116 and 97 kDa. The bidimensional protein profile showed that hemolymph proteins from L. intermedia are mainly distributed among acid to neutral pH. Lipid analysis was performed by HPTLC technique and several phospholipids were identified, such as phosphatidylcholine, phosphatidylinositol and phosphatidylethanolamine. Sterols identified in this work were cholesterol, ergosterol and triacylglycerol, and no glycolipids were identified. Protein glycosylation profile was evaluated by Lectin Blot assays and only high manose and N-acetylglucosamine residues were identified. Sialic acid residues were not found, corroborating with L intermedia glycosylation data obtained using venom toxins. Using light microscopy analysis, phohemocytes were identified, which are the precursor cells. Plasmatocytes and granulocytes were also detected, these cells are involved in innate immunity, acting in phagocytosis, nodulation, encapsulation and melanization. This work was the first one to study the brown spider hemolymph, characterizing the protein, lipid and glycosilation profiles of its components. Furthermore, the cellular fraction was also investigated and different hemocytes were identified. Thereby, this study starts a new research line in Loxosceles field, extending the knowledge and the natural source of bioactive molecules with biotechnological potentials.pt_BR
dc.format.extent96 f. : il. algumas color., tabs.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.relationDisponível em formato digitalpt_BR
dc.subjectDissertaçõespt_BR
dc.subjectAranhapt_BR
dc.subjectHemolinfapt_BR
dc.subjectHemócitospt_BR
dc.subjectCitologia e biologia celularpt_BR
dc.subjectBiologia molecularpt_BR
dc.titleAvaliação do perfil lipídico e proteico e caracterização dos hemócitos da hemolinfa de aranha marrom (Loxosceles intermedia)pt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record