Show simple item record

dc.contributor.authorSilva, Arion Garcia dapt_BR
dc.contributor.otherKaskantzis Neto, Georges, 1959-pt_BR
dc.contributor.otherQueiroz, Sandra Mara Pereira dept_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Tecnologia. Programa de Pós-Graduação em Meio Ambiente Urbano e Industrialpt_BR
dc.date.accessioned2013-07-18T19:10:18Z
dc.date.available2013-07-18T19:10:18Z
dc.date.issued2013-07-18
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/31221
dc.description.abstractResumo: Os mananciais de abastecimento público no Brasil sofrem cada vez mais com a pressão da ocupação e o uso do solo. Apesar de existirem leis específicas e das organizações afins tratarem deste assunto com responsabilidade, visando proteger e manter a qualidade ambiental, este assunto permanece bastante questionado. Os mananciais são áreas que devem ser protegidas com o intuito de preservar a qualidade dos recursos naturais, tais como: o ar, a água que abastece a população, redes tróficas, contenção de erosão, regulação hídrica e climática, beleza cênica e potencial para o ecoturismo. A estimativa do potencial ambiental destas áreas pode ser realizada com a qualificação do seu estado conservação e a valoração econômica dos serviços ambientais. O primeiro manancial do município de Curitiba - Carvalho, com 1.621 ha, foi o objeto deste estudo. A qualificação do estado de conservação foi realizada por meio da percepção de uma equipe multidisciplinar composta por nove especialistas. A equipe visitou a área do Carvalho, tendo realizado a qualificação nominal e ponderal das qualidades ambientais. A valoração ambiental da área foi estimada com a utilização de métodos adequados, especificamente com a pesquisa de opinião pública. Na pesquisa foi identificada a disposição à pagar para a conservação da área. A partir das entrevistas realizadas junto a população de Piraquara elaborou-se um modelo econométrico que foi capaz de fornecer o valor global do recurso ambiental (VERA). O resultado da avaliação do estado de conservação atual pelo grupo de especialistas, possibilitou estimar que o atual estado de conservação da área do Carvalho seja da ordem de 83,2% de sua capacidade máxima de fornecimentos de serviços ambientais. Além disso, investigaram-se as supostas alterações do estado de conservação que poderiam decorrer de uma suposta ocupação irregular, por um grupo constituído por mil famílias, que supostamente ocuparia 14% da área, o que consequentemente reduziria em 48,1% do atual nível do estado de conservação da área do Carvalho. A valoração econômica ambiental dos serviços fornecidos pela área foi estimado em R$ 2.616,19 ano?¹.ha?¹. Este valor é maior que o lucro médio decorrente de culturas de soja e milho no estado do Paraná por hectare, isso significa que a população atribui maior importância pela conservação da área do Carvalho que ao desenvolvimento.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectDissertaçõespt_BR
dc.subjectRecursos naturais - Conservaçãopt_BR
dc.subjectBacias hidrograficaspt_BR
dc.subjectSaneamentopt_BR
dc.subjectTesespt_BR
dc.titleValoração e sustentabilidade ambiental do primeiro manancial de abastecimento público de Curitiba - Carvalhopt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record