Show simple item record

dc.contributor.authorKloster, Fernando Staudept_BR
dc.contributor.otherMolento, Marcelo Beltraopt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciencias Agrárias. Programa de Pós-Graduaçao em Ciencias Veterináriaspt_BR
dc.date.accessioned2013-07-22T17:29:16Z
dc.date.available2013-07-22T17:29:16Z
dc.date.issued2013-07-22
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/30290
dc.description.abstractResumo: Os helmintos gastrintestinais de bovinos têm sido relatados como um problema na produção animal no Brasil e no mundo. O uso de anti-helmínticos no controle de endoparasitoses é uma prática comum, porém, essa utilização de forma indiscriminada pode causar efeitos negativos como o seleção de parasitos resistentes a drogas. O problema da resistência parasitária é mundial e, no Brasil, esse fenômeno tem ocorrido em muitos estados principalmente em Cooperia sp. e Haemonchus sp. Estudos em pequenos ruminantes sobre a tentativa de reversão da resistência têm crescido nos últimos anos, porém, em bovinos essa prática ainda carece de investigações. Novas metodologias têm sido estudadas para controlar as endoparasitoses como o uso de extratos vegetais. O objetivo do presente estudo foi avaliar in vitro por meio do teste de eclodibilidade de ovos (TEO) e do teste de migração de larvas em ágar (TMLA) a atividade dos óleos essenciais de Eucalyptus staigeriana, Carapa guianensis, Cymbopogon martinii, Cymbopogon schoenanthus e Mentha piperita sobre nematódeos gastrintestinais de bovinos. Detectou-se efeito ovicida para E. staigeriana, C. martinii, C. schoenanthus e M. piperita com as respectivas doses de 1,04; 0,22; 0,26 e 0,43 mg/mL que inibiram 50% da eclodibilidade (DL50). Efeito larvicida foi detectado em C. martinii, C. schoenanthus e M. piperita com DL50 de 17,47; 12,29 e 16,82 mg/mL. A cromatografia gasosa dos óleos essenciais revelou a presença de terpenos como o limoneno, geranial e neral para E. staigeriana, geraniol para C. martinii, geraniol, geranial e neral para C. schoenanthus e mentol para M. piperita. O óleo de Carapa guianensis apresentou ácidos graxos oleico e palmítico como principais constituintes. Testes de atividade antiproliferativa em células tumorais e normais humanas resultaram em baixa toxicidade dos óleos sugerindo uma possível segurança no uso in vivo, porém, testes de toxicidade em cobaias devem ser realizados. Conclui-se que os óleos essenciais de Eucalyptus staigeriana, Cymbopogom martinii, C. schoenanthus e Mentha piperita são candidatos no controle de helmintos gastrintestinais de bovinos.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectDissertaçõespt_BR
dc.subjectParasitologia veterinariapt_BR
dc.subjectAnti-helminticospt_BR
dc.subjectHomeopatia veterinariapt_BR
dc.titleAvaliação in vitro de óleos essenciais como anti-helmíntico de bovinospt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record