Show simple item record

dc.contributor.advisorBulgacov, Yara Lucia Mazziottipt_BR
dc.contributor.authorCarlo, Juliana dept_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciencias Sociais Aplicadas. Programa de Pós-Graduaçao em Administraçaopt_BR
dc.date.accessioned2013-06-03T17:03:33Z
dc.date.available2013-06-03T17:03:33Z
dc.date.issued2013-06-03
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/30274
dc.description.abstractResumo: Este trabalho investiga as noções de "feminino" e "masculino" bem como a atribuição de funções às mulheres e aos homens que permeiam as narrativas de atores organizacionais responsáveis, direta ou indiretamente, pela entrada histórica de mulheres no chão de fábrica da Electrolux do Brasil S/A. A partir de uma revisão bibliográfica da temática da relação da mulher & trabalho e organização no campo dos estudos da organização e da psicologia social, constrói-se um referencial teórico de análise. Ou seja, parte-se do pressuposto de que concepções do que é "ser homem" e "ser mulher" e, por conseqüência, o que é "trabalho masculino" e "trabalho feminino", refletem e reforçam dimensões sócio-históricas, culturais e ideológicas na sociedade. Justifica-se esta perspectiva adotada na medida em que se entende que noções de gênero permeiam todas as práticas organizacionais e influenciam tomadas de decisões nas organizações. Coerente com o entendimento da natureza social do fenômeno sob análise, o delineamento metodológico configura-se como estudo de caso de natureza descritivo-qualitativa. Toma-se como material empírico as narrativas dos responsáveis pela contratação das mulheres, analisando-o segundo o referencial teórico adotado. Pôde-se constatar, a partir das narrativas referentes ao período estudado (iniciado em 1995), a emergência de mudanças mercadológicas exigindo adaptações significativas na organização do trabalho e na forma de gestão da organização, refletindo-se em alterações nas justificativas para as atribuições de funções para mulheres ao longo do período. Foram apontados, acredita-se, indicadores empíricos para se comprovar o pressuposto de construção social dos conceitos de "trabalho feminino" e "masculino". Olhando criticamente para a organização, e analisando as noções de feminino e masculino e a divisão sexual do trabalho, pôde-se obter ricas informações sobre as noções de gênero que acompanham as narrativas e as decisões dos responsáveis pelo processo histórico de contratação de mulheres no chão de fábrica da empresa. Diante dos dados empíricos coletados durante a pesquisa de campo, pode-se dizer que as noções de gênero relacionadas às trabalhadoras apontam características tradicionalmente atribuídas às mulheres, o que estabeleceria o padrão de feminilidade para o sexo feminino. As mesmas características socialmente construídas, atribuídas historicamente às mulheres, são reforçadas e reproduzidas pelas narrativas dos atores organizacionais. Observou-se então que a atribuição de características das mulheres não mudou nesse tempo histórico. Por outro lado, percebeu-se que o que muda são as justificativas do lugar que elas devem ocupar. Sendo que o gênero é um princípio de organização social que estrutura as relações de poder entre os sexos (NOGUEIRA, 2001), os dados empíricos confirmaram que as tentativas de manter as mulheres em menor número e em posições de menor status e remuneração têm sido bem sucedidas na referida organização. Palavras-Chaves: gênero, mulheres, chão de fábrica, divisão sexual do trabalho.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectTrabalho femininopt_BR
dc.subjectIndustria - Trabalho femininopt_BR
dc.subjectMulheres - Empregopt_BR
dc.subjectDivisão do trabalho por sexopt_BR
dc.titleA dimensao de construçao social nas noçoes de "trabalho feminino" : um estudo de caso sobre o processo histórico de entrada das mulheres no chao de fábrica da Electrolux do Brasil S/Apt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record