Show simple item record

dc.contributor.authorVianna, Gerson Ney de Oliveirapt_BR
dc.contributor.otherKozicki, Luiz Ernandes, 1949-pt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciencias Agrárias. Programa de Pós-Graduaçao em Ciencias Veterináriaspt_BR
dc.date.accessioned2013-06-17T18:56:34Z
dc.date.available2013-06-17T18:56:34Z
dc.date.issued2013-06-17
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/30058
dc.description.abstractResumo: Neste estudo comparou-se dois métodos de sincronização de estro em 150 vacas Nelore, entre junho de 2007 e janeiro de 2008, no município de Janiópolis, Paraná. Foram utilizados dois protocolos de sincronização de estro. No primeiro grupo (G1), 30 dias (D30) pós-parto, foram utilizados pessários vaginais impregnados com progesterona. No D38, foram retirados os pessários, aplicou-se 500 UI de gonadotrofina coriônica equina (eCG) e os bezerros foram separados das mães durante 48 horas. No D40 retornaram os bezerros, houve observação e inseminação artificial (IA) nas vacas que apresentaram estros. No grupo dois (G2) foram colocados os pessários no D30, retirados no D38 e os animais receberam 500 UI de gonadotrofina coriônica equina (eCG). Os bezerros foram separados durante 48 horas. No retorno dos bezerros, D40, foi aplicado um miligrama de benzoato de estradiol (BE). No D42 procedeu-se a inseminação artificial em tempo fixo (IATF). No grupo três (G3) foram colocados os pessários no D30, retirados no D38 e após houve a observação de estros e IA. O diagnóstico de gestação foi realizado por palpação retal após 60 dias. A taxa de prenhez no G1 foi de 46,67% e a taxa de estros foi de 68,90%. As perdas de pessários neste grupo foram de 10%. No G2, do total de 42 animais inseminados, a taxa de prenhes foi de 40,48% e as perdas de pessários vaginais corresponderam a 16%. No G3 (controle), a taxa de prenhez foi de 40,90%. A taxa de estros foi de 61,37% e as perdas de pessários representaram 12%. Para as análises estatísticas, utilizou-se o método do qui-quadrado. Conclui-se que os protocolos de sincronização de estro utilizados não influenciam na taxa de prenhez.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectDissertaçõespt_BR
dc.subjectBovino de leite - Inseminação artificialpt_BR
dc.subjectObstetricia veterinariapt_BR
dc.subjectGonadotrofinas corionicaspt_BR
dc.titleSincronização do estro mediante utilização de acetato de medroxiprogesterona, gonadotrofina coriônica equina, benzoato de estradiol e desmame interrompido no puerpério de vacas da raça Nelorept_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record