Show simple item record

dc.contributor.authorSessegolo, Gisele Cristinapt_BR
dc.contributor.otherPassos, Evertonpt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciencias da Terra. Programa de Pós-Graduaçao em Geografiapt_BR
dc.date.accessioned2013-11-14T12:36:28Z
dc.date.available2013-11-14T12:36:28Z
dc.date.issued2013-11-14
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/30050
dc.description.abstractResumo: O incremento da população mundial tem ampliado a exploração dos recursos naturais, aumentando a pressão sobre o meio ambiente em geral, nele inserido o patrimônio espeleológico. Recentemente, interesses econômicos prevaleceram sobre a conservação, culminando na alteração das principais leis que regiam assuntos ambientais no país. De modo a enfrentar esse quadro, a presente tese visa subsidiar o processo de manejo e conservação das cavernas brasileiras, através da avaliação das políticas públicas relacionadas, do contexto atual do manejo e da conservação, de modo a identificar as lacunas do conhecimento espeleológico e as prioridades de conservação. A análise efetuada considerou a sobreposição e correlação de dados do cadastro de cavernas (CANIE/CECAV); das áreas prioritárias para a conservação (MMA); das unidades de conservação estaduais e federais (MMA); da potencialidade de ocorrência de cavernas (CECAV) e da distribuição dos biomas brasileiros. A ampliação do conhecimento sobre a distribuição e características das cavernas brasileiras representaria significativo avanço para subsidiar as análises locais e regionais dos processos de licenciamento ambiental e para seleção de áreas prioritárias para conservação do patrimônio espeleológico brasileiro. Apesar da mudança radical do status de conservação das cavernas brasileiras, não foram criadas linhas específicas para financiamento de novas pesquisas no país sobre esse tema. Isso limita as análises dos processos de licenciamento ambiental que dependem do conhecimento do patrimônio regional na análise de viabilidade de uso e supressão, bem como para a determinação de estratégias de conservação. As iniciativas de conservação de cavernas, para atender ao Programa de Proteção ao Patrimônio Espeleológico, devem partir de uma avaliação criteriosa dos dados já existentes de áreas de maior representatividade da biodiversidade brasileira nos distintos biomas, integrando as ações e estudos com outros dados e programas de conservação brasileiros. As definições das estratégias de conservação desse patrimônio devem contemplar a diversidade de litologias, formações e sistemas espeleológicos existentes em cada bioma encontrado no território nacional. Nesse sentido, considerar as prioridades de conservação indicadas pelo próprio ICMBio em cada bioma, deve ser um dos caminhos a serem adotados prioritariamente. Em relação ao manejo, apesar dos avanços ocorridos, poucos planos de manejo de áreas protegidas brasileiras inseriram as cavernas, sendo mais raros aqueles que chegaram a propor o efetivo manejo espeleológico. Mesmo com as iniciativas de se regulamentar essa temática, ao se licenciar o uso público de uma caverna localizada em propriedade privada, não se exige uma contrapartida pela conservação do mesmo bem. Em relação às áreas já protegidas, há pouco conhecimento e planejamento visando a conservação do patrimônio espeleológico associado.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectTesespt_BR
dc.subjectCavernas (Habitaçoes subterrâneas)pt_BR
dc.subjectEspeleologiapt_BR
dc.subjectGrutaspt_BR
dc.titleA conservação e o manejo de cavernas no Brasilpt_BR
dc.typeTesept_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record