Show simple item record

dc.contributor.advisorMalafaia, Osvaldo, 1944-pt_BR
dc.contributor.authorBaldez, Raimundo Nonatopt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciencias da Saúde. Programa de Pós-Graduaçao em Clínica Cirúrgicapt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Maranhãopt_BR
dc.contributor.otherMalafaia, Osvaldopt_BR
dc.date.accessioned2013-04-11T17:14:43Z
dc.date.available2013-04-11T17:14:43Z
dc.date.issued2013-04-11
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/29914
dc.description.abstractResumo: A cicatrização é um processo altamente complexo, com diferentes fases. Há uma grande variedade de plantas medicinais usadas para pesquisa, dentre elas, a Orbignya phalerata (babaçu). Objetivo - Este estudo objetivou analisar comparativamente as alterações tensiométricas e histológicas na cicatrização de anastomoses colônicas proporcionadas pelo uso do extrato aquoso do mesocarpo do babaçu (Orbignya phalerata). Material e Método - Utilizaram-se 40 ratos wistar, machos, separados em dois grupos de vinte animais denominados grupos controle e experimento, Os ratos de cada grupo foram divididos em 2 subgrupos de 10 animais cada e avaliados no terceiro e sétimo dia de pósoperatório. Realizaram-se colotomia e colorrafia em plano único. Os animais do grupo controle receberam no ato operatório dose única de solução salina isotônica (50 mg/kg/peso, concentração de 25 mg/ml), por via intraperitoneal. Os animais do grupo experimento receberam extrato aquoso de babaçu em dose, concentração e via de administração similar. Foram avaliados os seguintes parâmetros: a) avaliação macroscópica da parede e de cavidade abdominal; b) avaliação tensiométrica da anastomose (pressão e ruptura); c) características histológicas da anastomose. Resultados - O exame macroscópico evidenciou a presença de aderências em todos os animais, com significância estatística nos animais do grupo experimento de 3 dias quando comparados com o grupo controle. Nos animais do grupo de 7 dias não houve diferença. Não houve ocorrência de deiscência de anastomose, fístulas, abscessos e/ou hemorragia. Com relação à variação tensiométrica, constatou-se que a média de variação de ruptura dos grupos controle e experimento tanto para os animais do grupo de 3 dias (25,4 mmHg - 14,8 mmHg) quanto para os de 7 dias (183 mmHg - 175 mmHg), foram iguais, não ocorrendo diferença estatisticamente significante. A análise histológica dos animais do grupo de 3 dias mostrou diferença estatisticamente significante no grupo experimento em relação ao controle na variável mononuclear, enquanto que, no sétimo dia, houve diferença estatisticamente significante em todas as variáveis do grupo experimento quando comparadas com o controle. Conclusão - Conclui-se que ocorreu efeito favorável no extrato aquoso do mesocarpo do babaçu no processo de cicatrização da anastomose colônica e, também, que não houve diferença significante na avaliação tensiométrica entre os grupos controle e experimento. Descritores: 1. Cicatrização; 2. Babaçu; 3. Anatomoses cirúrgica; 4. Cólon; 5. Ratos wistarpt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectCirurgia experimentalpt_BR
dc.subjectTesespt_BR
dc.titleAnálise da cicatrização do cólon com uso do extrato aquoso da Orbignya phalerata (babaçu)pt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record