Show simple item record

dc.contributor.authorRibeiro, Thiago Pereirapt_BR
dc.contributor.otherDahlke, Fabiano, 1973-pt_BR
dc.contributor.otherMaiorka, Alexpt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciencias Agrárias. Programa de Pós-Graduaçao em Ciencias Veterináriaspt_BR
dc.date.accessioned2013-04-26T14:56:44Z
dc.date.available2013-04-26T14:56:44Z
dc.date.issued2013-04-26
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/29845
dc.description.abstractResumo: A dieta dos frangos de corte é baseada na mistura de ingredientes vegetais, que apresentam uma quantidade significativa de fitato, um composto anti-nutricional que indisponibiliza uma série de nutrientes, dentre eles o fósforo, causando a necessidade de suplementação de fontes inorgânicas do mineral, geralmente realizada através do fosfato bicálcico, o que aumenta os custos totais de produção. Como a fitase é uma enzima reconhecida por hidrolisar parte do fitato, o presente trabalho teve por objetivo avaliar a redução dos níveis de fósforo disponível (Pd) nas rações para frangos, suplementando a enzima fitase. Foram realizados dois experimentos. No primeiro, 792 frangos da linhagem Ross, criados de 1 a 41 dias de idade, foram distribuídos em um delineamento inteiramente ao acaso com quatro tratamentos e nove repetições de 22 aves por unidade experimental. Os tratamentos constituíram: T1 - controle positivo (níveis nutricionais recomendados por ROSTAGNO et al. 2011); T2 - controle negativo com redução de 0,15 pontos percentuais de Pd; T3 - redução de 0,15 pontos percentuais de Pd e com a inclusão de 1000 FYT de fitase; T4 - é o T3 até 21 dias de idade e após essa idade, uma dieta com reduções de 0,31 e 0,25 pontos percentuais de Pd nas fases de 22 a 35 dias e 36 a 41 dias de idade (0,11% de Pd suplementado), respectivamente, mais a inclusão de 4000 FYT de fitase. Foram avaliados o desempenho zootécnico e as características ósseas da tíbia dos frangos ao final do experimento. A inclusão de 4000 FYT de fitase, com reduções de 0,31 e 0,25 pontos percentuais de Pd nas fases de 22 a 35 dias e 36 a 41 dias de idade foi suficiente para manter desempenho zootécnico semelhante a uma dieta com níveis recomendados pela literatura sem afetar as características ósseas. No segundo ensaio, foram utilizados 660 frangos de corte da linhagem Cobb 500 avaliados de 22 a 42 dias de idade. O delineamento experimental utilizado foi o inteiramente ao acaso com cinco tratamentos, e 6 repetições de 22 aves. Os tratamentos empregados consistiram em rações com diferentes níveis de Pd: 0,10, 0,17, 0,24, 0,31 e 0,38%. Em todas as rações foi adicionado 1000 FYT da enzima fitase. Foram avaliados o desempenho zootécnico, características ósseas da tíbia dos frangos e a digestibilidade ileal aparente do cálcio e do fósforo. Na dieta com 0,24% de Pd a inclusão de 1000 FYT de fitase, foi suficiente para manter o desempenho zootécnico sem afetar as características ósseas. Verifica-se na presente dissertação que, com uma restrição maior de Pd (0,31 e 0,25 pontos percentuais) a qual resultou em uma suplementação de 0,11% de Pd entre 22 e 41 dias de idade, é necessária uma quantidade maior de enzima (4000 FYT) para não comprometer a produtividade das aves, já quando se utiliza a enzima seguindo a recomendação do fabricante (1000 FYT), há uma necessidade maior de suplementação de Pd (0,24%).pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectTesespt_BR
dc.subjectNutrição animalpt_BR
dc.subjectFrango de corte - Alimentação e raçõespt_BR
dc.subjectFosforo na nutrição animalpt_BR
dc.titleRedução dos níveis de fósforo disponível em rações para frangospt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record