Show simple item record

dc.contributor.authorTavares, Andressa Kereczpt_BR
dc.contributor.otherLima, Marcelo Ricardo de, 1968-pt_BR
dc.contributor.otherLesama, Manoel Florespt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciencias Agrárias. Programa de Pós-Graduaçao em Ciencias do Solopt_BR
dc.date.accessioned2013-07-18T12:49:34Z
dc.date.available2013-07-18T12:49:34Z
dc.date.issued2013-07-18
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/29833
dc.description.abstractResumo: A etnopedologia é uma disciplina híbrida que considera o conhecimento local sobre solos. O litoral sul/ sudeste brasileiro foi a primeira área de povoamento após o descobrimento do Brasil, porém parte desta região ficou isolada geograficamente pela Serra do Mar por mais de 300 anos, e as pequenas comunidades que permaneceram nesta região, sobreviveram da agricultura e da pesca. As condições ambientais e históricas motivaram os agricultores a desenvolverem um conhecimento local sobre os solos agrícolas da região. Em razão disto, objetivou-se realizar um estudo etnopedológico com agricultores familiares dos municípios de Antonina e Morretes- PR, bem como fazer a uma comparação entre os conhecimentos etnopedológicos e científicos. Para alcançar este objetivo o presente trabalho foi divido em dois artigos: 1) Identificação e descrição da classificação local de solos e dos atributos utilizados; 2) Comparação entre a classificação etnopedológica e a classificação da ciência formal, ou seja, o Sistema Brasileiro de Classificação de Solos. Para a consecução do conhecimento etnopedológico foram entrevistados residentes em 20 unidades de produção familiar. Foi utilizada a metodologia de diagnóstico participativo que consistiu de quatro etapas: 1) entrevistas narrativas; 2) elaboração de mapas participativos; 3) caminhamentos na propriedade rural; 4) reunião geral com agricultores. Foram identificadas quatro classes etnopedológicas de terras, que também foram classificadas conforme as técnicas científicas formais, e descritos e amostrados dois perfis complementares de cada classe etnopedológica, sendo um em cada município. Para a classificação formal utilizou-se como referência o Sistema Brasileiro de Classificação de Solos (SiBCS). A classe etnopedológica "Terra de Morro" correspondeu a CAMBISSOLO HÚMICO Distrófico típico e ARGISSOLO VERMELHO-AMARELO Distrófico típico, a classe "Sabão de Caboclo" correspondeu a GLEISSOLO HÁPLICO Tb Distrófico típico e GLEISSOLO HÁPLICO Ta Eutrófico típico, a classe "Terra Argilosa" correspondeu a CAMBISSOLO HÁPLICO Tb Distrófico típico e CAMBISSOLO HÁPLICO Ta Eutrófico típico e a "Terra de Desmonte" correspondeu a CAMBISSOLO FLÚVICO Ta Distrófico típico e NEOSSOLO FLÚVICO Ta Eutrófico típico. Foram observadas similaridades entre as formas de fazer as análises, atributos utilizados e entre as classificações de agricultores e cientistas.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectTesespt_BR
dc.subjectGeografia do solopt_BR
dc.subjectSolos - Classificaçãopt_BR
dc.subjectSolo - Usopt_BR
dc.titleCaracterização etnopedológica de terras agrícolas com agricultores familiares dos Municípios de Antonina e Morretes - PRpt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record