Show simple item record

dc.contributor.authorHennipman, Hagata Siqueirapt_BR
dc.contributor.otherSantos, Alvaro Figueiredo dospt_BR
dc.contributor.otherAuer, Celso Garciapt_BR
dc.contributor.otherVieira, Elisa Serra Negrapt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciencias Agrárias. Programa de Pós-Graduaçao em Agronomiapt_BR
dc.date.accessioned2013-04-26T14:46:56Z
dc.date.available2013-04-26T14:46:56Z
dc.date.issued2013-04-26
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/29818
dc.description.abstractResumo: No Brasil, a Araucaria angustifolia (Bertol.) O. Kuntze se constitui no único representante nativo do gênero, com importância ecológica e sócio-econômica no sul do país. Porém encontra-se em risco de extinção. Sua semente é classificada como recalcitrante, necessitando ser armazenada sob condições controladas de temperatura, umidade relativa e teor de água a fim de se obter maior longevidade. Outro aspecto importante refere-se a qualidade sanitária das sementes de araucária. A qual é drasticamente prejudicada pela elevada umidade das sementes e causa proliferação de fungos, podendo depreciar a qualidade de mudas. Esse fator possui uma especial importância, principalmente quando se trata de espécies florestais que apresentam oscilações de produção de sementes. No mercado não há produtos químicos registrados para o tratamento de sementes florestais, possibilitando com isso, o uso de produtos alternativos como o hipoclorito de sódio. Este trabalho teve como objetivos avaliar a qualidade sanitária de sementes de araucária tratadas com diferentes concentrações de hipoclorito de sódio (0,5,%; 1% e 3%) e submetidas a diferentes períodos de armazenamento (2, 4, 6, 8, 12 meses). Foram realizados testes de germinação, vigor e sanidade. Houve interferência do tratamento, atrasando a germinação das sementes, porém, sementes tratadas, independente da concentração usada, apresentaram germinação e emergência das plântulas evidenciando a eficiência do tratamento com hipoclorito de sódio. As sementes tratadas apresentaram menor incidência de fungos, principalmente aqueles de armazenamento como Aspergillus sp. e Penicillium sp.. Após um ano de armazenamento, sementes que não foram tratadas apresentaram infecção por Schizophyllum commune, que causando apodrecimento das sementes impedindo sua germinação.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectTesespt_BR
dc.subjectPinheiro-do-paraná - Sementes - Viabilidadept_BR
dc.titleQualidade sanitária e fisiológica de sementes de Araucaria angustifolia (Bert.) O. Kuntze submetidas ao armazenamentopt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record