Show simple item record

dc.contributor.advisorPierri Estades, Naínapt_BR
dc.contributor.authorMello, Carolina de Andradept_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciencias da Terra. Programa de Pós-Graduaçao em Sistemas Costeiros e Oceanicospt_BR
dc.date.accessioned2013-01-28T17:58:49Z
dc.date.available2013-01-28T17:58:49Z
dc.date.issued2013-01-28
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/29363
dc.description.abstractResumo: Este estudo trata dos tipos de trabalho realizados pelas mulheres na pesca do litoral do Paraná. A investigação foi realizada em três etapas. A primeira tratou-se de uma fase exploratória, de revisão bibliográfica e visitas as comunidades pesqueiras para identificação de casos representativos dos tipos de trabalho realizados pelas mulheres. A segunda etapa incluiu a aplicação de um questionário semi-estruturado, a realização de entrevistas abertas com roteiro, conversas informais e observações participativas para sete casos escolhidos como representativos de diferentes realidades da pesca marinha do Estado. A terceira etapa consistiu em entrevistas a informantes qualificados para complementar os dados levantados nas fases anteriores. Os resultados mostram que a escassez de recursos pesqueiros, e a irregularidade e imprevisibilidade da renda obtida com a atividade pesqueira favorecem que as mulheres das comunidades de pescadores se incorporem ao trabalho remunerado, dentro ou fora da pesca. Foram corroboradas as informações obtidas por Pierri et al., (2005), evidenciando que a inserção das mulheres na pesca (direta ou indireta) se diferencia segundo espaços geográficos que supõem diferentes recursos, condições e tipos de pescarias. Para decidir trabalhar na pesca ou na extração de organismos marinhos, tem um peso fundamental o fato de pertencer a uma cultura de pesca (comunidade e família). A escolha por trabalhar na pesca também depende das diferentes possibilidades de acesso a oportunidades econômicas fora da pesca e é relativo à qualificação de cada trabalhadora. A decisão de onde e como se inserir na atividade pesqueira está relativamente limitada em função do esforço físico exigido, das condições de segurança e da distância de sua casa. Contudo, quanto menor é a renda familiar, maior é a chance de participação na fase de captura propriamente dita, reduzindo o peso dos condicionantes relativos ao esforço físico e à segurança. Conclui-se que as formas de trabalho das mulheres das comunidades de pescadores do litoral do Paraná se diferenciam segundo a necessidade econômica - grau de pobreza/riqueza; segundo as possibilidades - inserção em família de pescadores, propriedade de meios de produção, acesso ao local de venda, capital para investir e saber fazer; e segundo as oportunidades - localização dentro das baías ou em mar aberto.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectTesespt_BR
dc.titleTipos de trabalho da mulher na pesca do Litoral do Paranápt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record