Mostrar registro simples

dc.contributor.advisorSantos, Adriana de Paula Lacerdapt_BR
dc.contributor.authorFrança, Alessandra Aparecida Vieirapt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Tecnologia. Programa de Pós-Graduaçao em Construçao Civilpt_BR
dc.contributor.otherSantos Filho, Mauro Lacerda, 1956-pt_BR
dc.date.accessioned2013-01-04T11:27:44Z
dc.date.available2013-01-04T11:27:44Z
dc.date.issued2013-01-04
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/29037
dc.description.abstractResumo: O objetivo desta dissertação de mestrado foi estudar o comportamento das lajes alveolares pré-fabricadas em concreto protendido submetidas a esforços de cisalhamento. Para isso, foram feitos ensaios de cisalhamento das lajes alveolares com espessura de 26,5cm com e sem capa de concreto de 5cm, sem preenchimento de alvéolos, com dois alvéolos preenchidos e com três alvéolos preenchidos com concreto. Os ensaios foram realizados de acordo com os procedimentos recomendados pela FIP (1992), pela EN 1168:2005 e por Costa (2009). Os valores da força cortante última obtida nos ensaios foram comparados com os valores das forças cortantes resistentes teóricas calculadas de acordo com a NBR 6118:2003 e com a NBR 14861:2011. Ao calcular-se a força cortante resistente através das equações apresentadas na NBR 14861:2011, verificou-se que esta norma está muito mais rigorosa no cálculo da resistência ao cisalhamento das lajes alveolares do que a NBR 6118. Devido à esta grande diferença nos resultados calculados, mesmo para lajes sem preenchimento de alvéolos, esta autora consultou a comissão que elaborou a NBR 14861:2011 e verificou que há um erro no texto da norma, pois o coeficiente foi considerado em duplicidade ( e 0,15). A ABNT emitirá em breve uma emenda da NBR 14861:2011 com as correções necessárias. Durante os ensaios realizados para a presente pesquisa, confirmou-se que o preenchimento dos alvéolos com concreto contribui para o aumento da resistência ao cisalhamento das lajes alveolares. Mas para o caso das lajes de 26,5cm de espessura, deve ser limitada a quantidade a no máximo dois alvéolos preenchidos, pois a maioria dos resultados para lajes com três alvéolos preenchidos foi menor, confirmando que a recomendação da NBR 14861:2011 é coerente com a prática. Após a análise da configuração de fissuração e dos mecanismos de ruptura das lajes alveolares durante os ensaios de cisalhamento, foram desenvolvidos modelos de bielas e tirantes representando as forças atuantes nas lajes no instante da sua ruptura. Através destes modelos foi calculada a tensão de tração atuante nos tirantes de concreto (nervuras) e dimensionada a geometria destes tirantes. As contribuições que esta pesquisa traz são as seguintes: aumento da quantidade de resultados de ensaios com lajes de espessura 26,5cm realizados no Brasil, obtenção de resultados de ensaios de cisalhamento com alvéolos concretados após a liberação da força de protensão, obtenção de resultados de ensaios de cisalhamento em lajes alveolares com alvéolos concretados e com capa de concreto armada com tela soldada, comparação de resultados de ensaios de cisalhamento com valores teóricos calculados através da nova revisão da norma NBR 14861:2011, aplicação de modelos de bielas e tirantes em lajes alveolares protendidas; correção da duplicidade do fator apresentada na NBR 14861:2011.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectTesespt_BR
dc.subjectLajes de concretopt_BR
dc.subjectCisalhamentopt_BR
dc.subjectConcreto protendidopt_BR
dc.titleEstudo das lajes alveolares pré-fabricadas em concreto protendido submetidas a ensaios de cisalhamentopt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Arquivos deste item

Thumbnail

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Mostrar registro simples