Show simple item record

dc.contributor.advisorHiga, Antonio Rioyeipt_BR
dc.contributor.authorLima, Roberval Monteiro Bezerra dept_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciencias Agrárias. Programa de Pós-Graduaçao em Engenharia Florestalpt_BR
dc.date.accessioned2013-05-24T19:12:09Z
dc.date.available2013-05-24T19:12:09Z
dc.date.issued2013-05-24
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/29023
dc.description.abstractSclerolobium paniculatum Vogel (taxi-branco), da família das Caesalpiniaceae (Leguminosae Caesalpinioideae), tem se destacado nos ensaios de competição, como espécie florestal promissora para produção de energia, com boa adaptação aos solos pobres e ácidos que ocorrem na Amazônia. A madeira do S. paniculatum é similar à do eucalipto, quanto ao rendimento de peso e volume e poder calorífico no processo de carbonização. Assim, a escolha desta espécie foi realizada com base na importância ecológica e econômica que a mesma representa para a região. O objetivo geral desta pesquisa foi determinar a influência dos fatores de sítio no crescimento do S. paniculatum, e adequar uma metodologia para predição do crescimento da espécie em plantios homogêneos na Amazônia. Este estudo foi desenvolvido no âmbito do projeto Zoneamento edafo-climático para plantios de espécies florestais na Amazônia, do programa piloto para proteção das florestas tropicais do Brasil - PPG7. Os plantios foram estabelecidos no período de 1998 a 1999 nos estados de Rondônia, Roraima e Amazonas. A partir de dados coletados aos 24 meses de idade, determinou-se com o uso das análises de regressão múltiplas, equações preditivas da altura da espécie em função de 23 variáveis de solo e oito de clima. As variáveis de solo incluíram fósforo (P), potássio (K), ferro (Fe), manganês (Mn), textura e água disponível. As de clima incluíram temperatura máxima e mínima, precipitação e radiação solar. A melhof combinação sítio-espécie foi também obtida pela predição do crescimento da espécie com uso do Plantgro®, programa que usa o balanço hídrico, a luz e a temperatura como sub-modelos. Concluiu-se que para predizer o crescimento em plantios com S. paniculatum, deve-se fazer amostragens até a profundidade de 40 cm para caracterização química do solo e para a fisica, na camada de 40-80 cm. Os teores de alumínio (Ai), sódio (Na), ferro (Fe), carbono (C), magnésio (Mg) e cálcio (Ca) foram as variáveis químicas que apresentaram maior percentual para explicar a variação do crescimento do S. paniculatum. A espécie apresentou maior crescimento nos sítios com disponibilidade hídrica acima de 110 mm e em solos com textura argilosa a muito argilosa. Foi observada uma variação na estimativa do volume/ha de 380% entre os sítios mais e menos produtivo. O desempenho do S. paniculatum poderá ser predito para a região, com considerável grau de precisão, utilizando-se o Plantgro® combinado com as técnicas estatísticas clássicas (análise de variância, teste de médias, análise de correlação e regressão). Os métodos para predizer o crescimento de espécies florestais utilizados neste estudo, poderão ser usados na recomendação dos sítios mais adequados para plantações de S. paniculatum na região amazônica.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectSitios florestais - Qualidadept_BR
dc.subjectTaxi-brancopt_BR
dc.subjectTesespt_BR
dc.titleCrescimento do SCLEROLOBIUM PANICULATUM VOGEL na Amazônia, em funçao de fatores de clima e solopt_BR
dc.typeTesept_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record