Show simple item record

dc.contributor.authorCarneiro, Jose Geraldo de Araujopt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciencias Agrárias. Programa de Pós-Graduaçao em Engenharia Florestalpt_BR
dc.date.accessioned2013-06-25T14:49:46Z
dc.date.available2013-06-25T14:49:46Z
dc.date.issued2013-06-25
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/28876
dc.description.abstractEste trabalho visou o estudo dos seguintes parâmetros que influenciam a qualidade de mudas: diâmetro de colo, idade e altura, com a finalidade de obter-se elementos que possam: dar as melhores indicações destes parâmetros que correspondam aos mais altos índices de pegamento e também ao melhor desenvolvimento, após o plantio. A essência em estudo é Pinus taeda, com a utilização de mudas em raiz nua. O experimento foi delineado em modelo fatorial 2x2x3, com três repetições. Cada bloco, com doze parcelas de 400 metros quadrados, comportando cada uma 100 mudas. Foram utilizadas 3.600 mudas no experimento. Os tratamentos, esquematicamente, foram considerados da seguinte forma: A 1 - Idade: 11 meses B 1: Diâmetro inferior à média da idade:<3.7 mm C 1: Altura inferior à média menos 1 desvio padrão; < 20 cm. C 2: Altura dentro de mais 1 a menos um desvio padrão, a partir da média: 20 a 38 cm. C 3: Altura superior à média mais 1 desvio padrão: > 38 cm. B 2: Diâmetro superior à média da idade:>3,7 mm C 1: Altura inferior à média menos 1 desvio padrão:' < 20 cm. C 2: Altura dentro de mais 1 a manos 1 desvio padrão a partir da média: 20 a 38 cm. C 3: Altura superior à média mais 1 desvio padrão: > 38 cm. A 2 - Idade: 8 meses: B 1: Diâmetro inferior à média da idade: < 2,3mm. C 1: Altura inferior; média menos 1 desvio padrão: < 10 cm. C 2: Altura dentro de mais 1 a menos 1 desvio padrão a partir da media: 10 a 20 cm. C 3: Altura superior à média mais desvio padrão:> 20 cm. B 2: Diâmetro superior à média da idade:>2.3 mm. C 1: Altura inferior à média menos 1 desvio padrão: < 10 cm. C 2: Altura dentro de mais 1 a menos 1 desvio padrão, a partir da media: 10 a 20 cm. C 3: Altura superior à media mais 1 desvio padrão: > 20 cm. As contagens da sobrevivência foram efetuadas a cada intervalo de 30 dias, durante 6 meses. Com os dados da última contagem foi efetuada análise de variância. As mudas plantadas tiveram sua altura medida após 15 meses. Foi efetuado o teste t para estabelecer-se a correlação entre a altura, após este período, e o diâmetro de colo (por ocasião do plantio), dentro de cada idade. Os resultados da análise foram: a) Idade (fator A): Em relação à sobrevivência, este tratamento teve efeitos altamente significantes. O nível 1 apresentou melhores resultados que o 2. b) Diâmetro (fator B): Em relação à sobrevivência, este tratamento teve efeitos altamente significantes. O nível 2 apresentou muito melhores resultados que o 1. O teste t detetou que, na idade maior (11 meses), houve significante diferença, ao nível de 99% de probabilidade, no crescimento em altura para as mudas que, por ocasião do plantio, apresentavam diâmetros de colo superiores a 3,1 mm. Para a idade menor (8 meses), este teste não detetou diferença significativa, evidenciando efeitos homogêneos dos diâmetros (superior e inferior a 2,3mm) em relação ao crescimento em altura. c) Altura (fator C): Este tratamento não foi significante. Não houve diferença entre os três níveis utilizados no experimento e, portanto, este fator foi considerado desnecessário, no tocante à classificação da qualidade das mudas. Não houve efeitos de interação entre os parâmetros estudados e os melhores resultados em sobrevivência ocorreram com mudas de maior idade (AI), maior diâmetro de colo (B2) e menor altura (CI). O fato de ocorrer a menor altura pode ser atribuído ao acaso. O critério atualmente aceito no Brasil para classificação morfológica de mudas da espécie em questão baseia-se na altura da parte aérea. O presente experimento demonstra t ser o diâmetro de colo, o parâmetro mais apropriado para esta finalidade e esta conclusão deve acarretar uma inversão de conceito gerando, desta forma um impacto. É evidente que todos os aspectos técnicos de vem andar em estreita harmonia com o econômico, analisando-se todos os ângulos da problemática, entretanto não compete neste trabalho o seu estudo.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectPinus taedapt_BR
dc.subjectEssencias florestais - Mudas - Qualidadept_BR
dc.subjectTesespt_BR
dc.titleDeterminação do padrão de qualidade de mudas de Pinus Taeda, L. para plantio definitivopt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record