Show simple item record

dc.contributor.advisorNegri, Ligiapt_BR
dc.contributor.authorBerwig, Carla Anétept_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências Humanas. Programa de Pós-Graduação em Letraspt_BR
dc.date.accessioned2020-04-17T13:08:57Z
dc.date.available2020-04-17T13:08:57Z
dc.date.issued2012pt_BR
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/1884/28830
dc.descriptionOrientadora: Profa. Dra. Ligia Negript_BR
dc.descriptionAutor não autorizou a divulgação do arquivo digitalpt_BR
dc.descriptionTese (doutorado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Humanas, Letras e Artes, Programa de Pós-Graduação em Letras. Defesa: Curitiba, 03/04/2012pt_BR
dc.descriptionBibliografia: fls. 122-133pt_BR
dc.description.abstractResumo: Esta pesquisa se insere no âmbito da pragmática e tem por objetivo analisar o emprego de estratégias de polidez linguística por operadores e usuários nas interações comunicativas que ocorrem na Central de Atendimento e Informações 156 da Prefeitura de Curitiba. O centro de interesse é o diálogo institucional, ou seja, a maneira pela qual os indivíduos desempenham atividades comunicativas associadas a contextos institucionais, e a importância da polidez para a manutenção - ou não - da harmonia das relações. O nosso estudo se apoia, principalmente, na Teoria da Polidez, de Brown e Levinson, em revisões críticas dessa teoria, na noção de face, de Goffmann, e em pressupostos da comunicação organizacional. Os procedimentos metodológicos obedeceram a três etapas: levantamento bibliográfico das principais teorias pragmáticas que fundamentam a pesquisa; audição das gravações que obtivemos da Central 156, das quais selecionamos 50 para transcrição; definição do nosso corpus, composto por 30 ligações, e análise. A hipótese inicial é que, em um ambiente de comunicação pública e institucional, como a Central 156, seria expressivo o uso de estratégias de polidez, com a finalidade de atenuar os atos de ameaça à face dos interlocutores. Supusemos também que haveria variações no uso das estratégias de acordo com o gênero (homem X mulher) e com o papel social desempenhado na interação (operador X usuário). Os resultados confirmaram a hipótese de que é frequente o recurso a estratégias de polidez e que os interlocutores preferem usar atenuações a recorrerem a imposições. As variações no emprego de estratégias de polidez, no entanto, não foram significativas em relação ao gênero, mas, sim, em relação ao papel social desempenhado pelos interlocutores (usuários X operadores). Isso demonstra que o contexto específico em que acontecem essas interações comunicativas influencia as escolhas linguísticas feitas por usuários e operadores.pt_BR
dc.description.abstractAbstract: The present research comes within the scope of pragmatics and aims at analyzing the use of linguistic politeness strategies in communication between operators and users of the Curitiba City Hall 156 Call and Information Center. Its main focus is the institutional dialogue, that is to say, the way people perform their communicative activities in institutional contexts and the importance of politeness to maintain or not relationship harmony. Our study is mainly based on Brown and Levinson Politeness Theory, critical analysis of it, the Goffmann notion of face and organizational communication assumptions. The methodological procedures comprised three steps: a bibliographic survey of the main pragmatic theories the research is based on; listening to the 156 Call Center audio records and then selecting 50 out of them for transcription; definition and analysis of our corpus comprising 30 calls. Our first assumption is that in a public and institutional communication environment such as the 156 Call Center, the use of politeness strategies would be relevant in order to soften threatening actions interlocutors may be subjected to. We also supposed that the politeness strategy use would change according to gender (man X woman) and to the social role during interaction (operator X user). The research results confirm that interlocutors frequently use politeness strategies and prefer attenuating to imposition actions, showing that the use of different politeness strategies were not significant concerning gender (man X woman) but, on the other hand, were very significant concerning the interlocutor social role (users X operators). So, the research inferred that the specific context of communicative interaction influences the user and the operator linguistic choices.pt_BR
dc.format.extent180f.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.relationDisponível em formato digitalpt_BR
dc.subjectTeses - Letraspt_BR
dc.subjectPragmaticapt_BR
dc.subjectComunicação nas organizaçõespt_BR
dc.subjectLetraspt_BR
dc.titleA polidez nas ligações institucionais : análise de gravações da Central de Atendimento e Informações 156 da Prefeitura de Curitibapt_BR
dc.typeTesept_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record