Show simple item record

dc.contributor.advisorGerminiani, Helio, 1933-pt_BR
dc.contributor.authorEstupinan, Gonçalo Iturraldept_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Curso de Pós-Graduaçao em Cardiologiapt_BR
dc.date.accessioned2019-08-12T14:20:37Z
dc.date.available2019-08-12T14:20:37Z
dc.date.issued1985pt_BR
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/1884/28766
dc.descriptionOrientador: Hélio Germinianipt_BR
dc.descriptionDissertaçao (mestrado) -Universidade Federal do Paraná. . Curso de Pós-Graduaçao em Cardiologiapt_BR
dc.description.abstractResumo: Quinhentos e oitenta e oito indivíduos foram estudados com o objetivo de determinar a prevalência e a distribuição das cardiopatias congênitas com curto-circuito artério-venoso e hiperfluxo pulmonar na altitude, comparando com outra área geográfica situada ao nível ou pouco acima do nível do mar. A população foi dividida em dois grupos: 1) Grupo A, constituído por 294 pacientes que residiam permanentemente em zona localizada aproximadamente a 3.000 metros de altitude acima do nível do mar, dos quais 119 eram homens e 175 mulheres, com idades variando entre 0 e 50 anos, média de 14 anos. Distribuídos em vários grupos etários. Foram os mesmos submetidos a exame clínico completo, eletrocardiograma, em alguns casos fonocardiograma, radiografia do tórax em várias incidências e estudo hemodinâmico. 2) Grupo B, era constituído por 294 pacientes residentes em áreas localizadas ao nível ou um pouco acima do nível do mar, dos quais 128 eram homens e 166 mulheres, com idades entre 0 a 58 anos, média de 21 anos, distribuídos em vários grupos etã - rios. Todos submeteram-se a estudo clínico, eletrocardiograma, ecocardiograma em um bom número de casos, radiografia de tórax em várias incidências e estudo hemodinâmico. Consideramos as seguintes variáveis: 1) CLASSIFICAÇÃO ANATÔMICA Deste grupo de cardiopatias congênitas foram selecionados os pacientes que apresentavam comunicação interatrial, persistência do canal arterial e comunicação interventricular. Do mesmo modo, levaram-se em conta os tipos anatômicos de cada uma dessas anomalias. 2) HIPERTENSÃO ARTERIAL PULMONAR O grau de severidade dessa complicação foi obtido relacionando a pressão da artéria pulmonar com a pressão arterial sistêmica. Consideramos como de grau leve os valores entre 30 a 50%, moderado, até 70% e severo mais do que 70% da pressão sistêmica. Entre os pacientes que apresentavam comunicação interatrial, mais de 80% dos casos eram do tipo ostium secundum, tanto do Grupo A como do B, cabendo ressaltar que neste último o número de pacientes era significativamente maior. Quanto ao sexo, a distribuição era semelhante. A maioria dos indivíduos do Grupo A encontravam-se entre 1 a 10 anos, enquanto no Grupo B predominavam os de 11 a 30 anos de idade. De acordo com o grau de hipertensão pulmonar, no Grupo A a maioria apresentava-a de leve a moderada; em contraste, no Grupo B a pressão arterial pulmonar era normal ou levemente aumentada. Dos pacientes com persistência do canal arterial, foram excluídos os recém-natos prematuros que apresentavam esta anomalia, sendo notório o predomínio do número de casos do Grupo A portadores deste defeito. A maioria tinha idade entre 1 a 10 anos, com número significativamente maior desta faixa etária no Grupo A. Segundo o grau de hipertensão pulmonar, no Grupo A existiam mais casos com grau moderado a severo, enquanto no Grupo B a maioria teve pressão normal ou levemente aumentada. Quanto â comunicação interventricular, foi o achado mais freqüente tanto no Grupo A de altitude como no Grupo B ao nível do mar. Para o nosso estudo consideramos oa pacientes que apresentavam o defeito localizado na porção membranosa do septo interventricular. A distribuição de acordo com o sexo foi equilibrada nos dois grupos. 0 maior número de casos correspondeu aos indivíduos de 1 a 10 anos, existindo uma diferença significativa entre os pacientes menores de 1 ano, a favor do Grupo A. Em relação â importância da hipertensão pulmonar, no primeiro Grupo' (A) predominaram os casos com grau moderado, enquanto no segundo Grupo (B) foram os de grau leve.pt_BR
dc.format.extent67f.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.titleA comunicaçao interatrial, interventricular e a persistencia do canal arterial na altitude e ao nível do mar : repercussoes sobre a pressao arterial pulmonarpt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record