Show simple item record

dc.contributor.advisorRoderjan Carlos Vellozo, 1952-pt_BR
dc.contributor.authorBarddal, Murilo Lacerdapt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciencias Agrárias. Programa de Pós-Graduaçao em Engenharia Florestalpt_BR
dc.contributor.otherGalvão, Franklin, 1952-pt_BR
dc.contributor.otherCurcio, Gustavo Ribaspt_BR
dc.date.accessioned2013-06-27T19:32:43Z
dc.date.available2013-06-27T19:32:43Z
dc.date.issued2013-06-27
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/28709
dc.description.abstractResumo: Este estudo teve por objetivo caracterizar a florística e fitossociologia do componente arbóreo-arbustivo de um trecho da floresta periodicamente inundável localizada na planície aluvial do rio Barigüi, no município de Araucária - PR. Buscou-se, também, relacionar os parâmetros fitossociológicos com os aspectos físicos do local. Para tanto, utilizaram-se parcelas fixas agrupadas em diferentes posições da planície, todas sobre mesma classe de solo, pertencente aos Gleissolos (estes coletados e analisados em laboratório), observando também a variação semanal do lençol freático em um ponto central a cada uma delas. Foram definidos dois compartimentos para a floresta, o superior formado por indivíduos com PAP maior ou igual a 15 cm e o inferior pelos demais exemplares até uma altura mínima de 1,30 m. Das 44 espécies amostradas, a mais importante foi Sebastiania commersoniana (Bâillon) L.B. Smith & R.J. Downs, com um valor de importância (VI) muito maior que as demais, comandando a estrutura geral da vegetação. Por ter índole pioneira, no sub-bosque, S. commersoniana cedeu seu posto de mais importante para Allophylus edulis (A. St.-Hil., Cambess. & A. Juss.) Radlk., que demonstrou grande plasticidade quanto à saturação hídrica do terreno, abundando sobretudo com indivíduos em fase jovem. Como peculiaridade dessa floresta, influenciada pela severidade do ambiente, constatou-se o pequeno porte de seus indivíduos. Mesmo o chamado compartimento superior, era formado em 70% por exemplares de até 12 cm de diâmetro, sendo de 13,2 m a altura média do seu estrato mais alto. Notou-se, ainda, uma grande incidência de indivíduos com vários troncos e a importância destacada de árvores mortas. Da interação com o meio físico, ficou claro que as áreas de maior profundidade do lençol freático proporcionaram maior desenvolvimento diamétrico da comunidade e que o número de indivíduos jovens foi menor no ambiente mais saturado hidricamente. O estabelecimento da grande maioria das espécies avaliadas, as quais apresentaram baixos valores fitossociológicos, ficou restrito às microelevações do terreno, que proporcionam melhor aeração e facilitam a competição com as completamente adaptadas. Conclui-se, ainda, que, juntamente com a crescente urbanização, a generalização dos drenos artificiais está alterando as características hidromórficas destas áreas que hoje se encontram muito menos saturadas do que originalmente. Conseqüentemente, isso tem provocado mudanças na dinâmica das comunidades vegetais e promovido a entrada de espécies higrófilas e mesófilas, inclusive exóticas, dos ambientes de encosta circunjacente para esse meio, outrora composto por flora muito específica. Finalmente, como resultado da revisão bibliográfica, foram listadas 93 espécies citadas até o presente momento como pertencentes à Floresta Ombrófila Mista Aluvial do estado do Paraná. Palavras-chave: Floresta inundável, fitossociologia, influência geopedológicapt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectMata Atlantica - Paranápt_BR
dc.subjectComunidades vegetais - Paranápt_BR
dc.subjectTesespt_BR
dc.titleAspectos florísticos e fitossociológicos do componente arbóreo-arbustivo de uma floresta ombrófila mista aluvial - Araucária, PRpt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record