Show simple item record

dc.contributor.authorSousa, Lucileyde Feitosapt_BR
dc.contributor.otherTeixeira, Salete Kozelpt_BR
dc.contributor.otherSarmento, Joao Carlos Vicentept_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciencias da Terra. Programa de Pós-Graduaçao em Geografiapt_BR
dc.date.accessioned2013-11-14T12:19:18Z
dc.date.available2013-11-14T12:19:18Z
dc.date.issued2013-11-14
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/28426
dc.description.abstractResumo: Esta tese analisou a construção da poética e das espacialidades dos barqueiros sobre o rio Madeira, no Estado de Rondônia. Nesta investigação, destacou-se as experiências vividas pelos sujeitos pesquisados, considerando "as suas vozes", as representações, os processos dialógicos e os significados atribuídos ao rio Madeira, situado num espaço de grande problemática ambiental que inclui principalmente a construção das usinas hidrelétricas (Santo Antônio e Jirau) na cidade de Porto Velho, o que reflete na manutenção da vida do grupo e na reorganização desse espaço amazônico. As transformações ocorridas variam desde ao alagamento de terras, remanejamento forçado de famílias, perda simbólica com o rio, mudança na dinâmica das águas, entre outros, sendo importante mostrar como o rio Madeira é percebido, interpretado e valorizado pelas populações locais. Para isto, priorizou-se a pesquisa qualitativa, recorrendo aos aportes teórico-metodológicos da Geografia Humanista-Cultural, atendo-se ao viés fenomenológico, nesta interface com os estudos linguísticos, perpassando pelos conceitos de lugar, espaço, espacialidade, representação, dialogismo, linguagem, cultura e imaginário poético. A pesquisa é vista como uma relação dialógica entre os sujeitos e dentro de um contexto sócio-histórico, e a consolidação do campo se deu através de vivências, viagens, entrevistas, aplicação de mapas mentais, registros fotográficos e anotações no caderno de campo. A faixa etária dos sujeitos da pesquisa variou de 18 a 72 anos e possuem origens nordestinas e amazônicas. Neste sentido, a linguagem atua como elemento primordial na composição da poética, sendo construída por um espaço dialógico, e que colabora com a transmissão da cultura. Os barqueiros elaboram diferentes espacialidades, a poética revela como os sujeitos explicam o seu modo de vida, estratégias de sobrevivência e manutenção da vida na Amazônia. Este olhar humanista possibilita a interpretação desses espaços dialógicos, uma vez que o homem constrói experiências, e recria o seu mundo vivido a partir dos processos interlocutivos. Isto é, o espaço é ressignificado e se transforma em lugar. Que esta pesquisa possa dar visibilidade ao grupo estudado e subsidiar às políticas públicas voltadas à Amazônia.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectTesespt_BR
dc.subjectAmazonia na literaturapt_BR
dc.subjectSociolinguisticapt_BR
dc.subjectGeografia humana - Amazônia (BR)pt_BR
dc.titleEspaços dialógicos dos barqueiros na Amazôniapt_BR
dc.typeTesept_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record