Show simple item record

dc.contributor.authorPontarolo, Luizangela Padilhapt_BR
dc.contributor.otherMendonça, Joseli Maria Nunes, 1960-pt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências Humanas. Programa de Pós-Graduação em Históriapt_BR
dc.date.accessioned2020-03-12T13:53:59Z
dc.date.available2020-03-12T13:53:59Z
dc.date.issued2012pt_BR
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/1884/28233
dc.descriptionOrientadora : Profª Drª Joseli Maria Nunes Mendonçapt_BR
dc.descriptionDissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Humanas, Letras e Artes, Programa de Pós-Graduação em História. Defesa: Curitiba, 16/08/2012pt_BR
dc.descriptionBibliografia: fls. 109-112pt_BR
dc.description.abstractResumo: Esta dissertação tem como objeto a atuação do padre secular Francisco das Chagas Lima entre os anos de 1810 e 1828, no processo de povoamento dos Campos de Guarapuava, localizados ao sul da então capitania e depois província de São Paulo, em um contexto de transição política no Brasil do início do século XIX. Consideramos que a obra de colonização daquela área do Brasil meridional tenha sido, ao mesmo tempo, de inserção do poder da Coroa na região e de expansão da fé cristã entre os nativos. Assim sendo, esse trabalho pretende demonstrar que, no contexto em que o padre Francisco das Chagas Lima atuou junto aos indígenas e povoadores, havia um debate sobre as maneiras de tratar das populações indígenas que ia desde a sua integração na sociedade por meio da civilização até o extermínio. Em meio a esses debates, o padre assumiu posturas que resultaram em embates com os demais povoadores. A partir da análise das ações de Chagas Lima, pudemos notar que as políticas indigenistas daquele período, geradas através da subordinação dos missionários ao poder da Coroa, criaram interligações diretas entre autoridade religiosa e laica no interior dos processos de expansão de fronteiras.pt_BR
dc.description.abstractAbstract: This dissertation has as object the action of secular priest Francisco das Chagas Lima between the years 1810 and 1828 in the settlement process of the Campos de Guarapuava, located to the south of the captaincy and then province of São Paulo, in a context of political transition in Brazil in the early nineteenth century. We believe that the process of colonization of that area of southern Brazil was at the same time, insertion of the power of the Crown in the region and expansion of the Christian faith among the natives. Therefore, this paper intends to demonstrate that the context in which the priest Francisco das Chagas Lima worked with the indigenous and settlers, there was a debate about the ways of dealing with indigenous who ranged from their integration into society by civilization or the extermination. Amidst these debates, the priest assumed positions that resulted in conflicts with the other settlers. Based on the analysis of the actions of Chagas Lima, we noted that the indigenist policies of that period, generated through the subordination of the missionaries to the power of the Crown, created direct links between secular and religious authority within the processes of frontier expansion.pt_BR
dc.format.extent112f.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.relationDisponível em formato digitalpt_BR
dc.subjectLima, Francisco das Chagaspt_BR
dc.subjectDissertações - Históriapt_BR
dc.subjectSecularização (Teologia)pt_BR
dc.subjectPadres da Igrejapt_BR
dc.subjectIndiospt_BR
dc.subjectMissionariospt_BR
dc.subjectHistóriapt_BR
dc.titleFrancisco das Chagas Lima : a atuação de um padre secular no povoamento dos Campos de Guarapuava (1808-1828)pt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record