Show simple item record

dc.contributor.authorMiqueles, Eduardo Xavierpt_BR
dc.contributor.otherBiloti, Ricardopt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciencias Exatas. Programa de Pós-Graduaçao em Matemática Aplicadapt_BR
dc.date.accessioned2012-09-28T15:00:26Z
dc.date.available2012-09-28T15:00:26Z
dc.date.issued2012-09-28
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/28209
dc.description.abstractResumo: Modelamento sísmico é um problema direto, utilizado para resolver vários problemas inversos. Por problema direto entendemos a modelagem da propagação de ondas em meios previamente estabelecidos e por problema inverso, por exemplo, as estimativas dos tempos de propagação que, ao ajustarem os tempos observados, permitem estimar o meio. Tais técnicas dependem da construção de sismogramas sintéticos que representam o registro da simulação de um abalo sísmico. Tendo em mãos o registro de campo, uma comparação é feita entre o registro simulado e o real de forma que se os resultados são aceitáveis, então o modelo de velocidades adotado e a geometria do perfil escolhido representam bem a subsuperfície de investigação. Quando esta comparação não é adequada, o modelo sintético é alterado e o processo se repete até que se obtenha o ajuste desejado. Este processo é conhecido como ajuste tomográfico. Neste trabalho é apresentado um estudo sobre a resolução do sistema de traçamento de raios em meios analíticos, ou seja, quando escolhemos modelos de velocidade que permitem solução analítica para a equação iconal, que governa a propagação de ondas. Ao escolher cinco tipos de velocidades analíticas, são descritos os aspectos matemáticos da trajetória onde se concentra a alta freqüência de ondas numa dada direção, o chamado raio, [3]. Grande parte do esforço para construir seções simuladas depende do traçamento eficiente e rápido de raios. Ao considerar meios analíticos, a implementação de raios torna-se peculiar e diferente das estratégias que utilizam métodos numéricos, como integração numérica ou diferenças finitas por exemplo. Este trabalho aborda teoria de raios como necessidade para modelamento. Logo, algoritmos para traçamento de raios são discutidos em aspectos teóricos e computacionais, visando a implementação de uma biblioteca denominada ART, cuja sigla denota Andytical Ray Tracing. Ao final, considerando meios multi-camadas separados por interfaces que não se cruzam, são ilustrados os resultados obtidos por duas técnicas clássicas de modelamento: teoria de raios e integral de Kirchhoff. Palavras-chave: Teoria de raios, Modelamento sísmico.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectMatemática aplicadapt_BR
dc.titleModelamento sísmico em meios analíticospt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record