Show simple item record

dc.contributor.advisorOstrensky, Antoniopt_BR
dc.contributor.authorPilchowski, Robert Willianpt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciencias Agrárias. Programa de Pós-Graduaçao em Ciencias Veterináriaspt_BR
dc.date.accessioned2012-09-27T12:33:32Z
dc.date.available2012-09-27T12:33:32Z
dc.date.issued2012-09-27
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/28199
dc.description.abstractResumo: Em julho de 2000, aconteceu um acidente na Refinaria Presidente Getúlio Vargas (REPAR), localizada no Município de Araucária, sul do Brasil, e envolveu um derramamento de cerca de quatro milhões de litros de óleo cru (25.160 barris). Esse foi considerado o maior derramamento de óleo na história do Brasil. Apesar do uso de barreiras de contenção, o óleo escorregadio alcançou até 45 km rio abaixo de um pequeno riacho (Arroio Saldanha) e dois rios importantes da região (Rio Barigüi e Rio Iguaçu). Nesta extensão, os rios posteriores são altamente poluídos após terem cruzado a Cidade de Curitiba, uma cidade de mais de dois milhões de habitantes. A distribuição espacial e temporal dos peixes destes rios foram analisadas em seis locais de coleta (em uma extensão de rio de 150 km) localizados acima e a baixo do Rio Barigüi e Rio Iguaçu (em todos os rios) do ponto de introdução de óleo. Os peixes foram capturados mensalmente com tarrafas, armadilhas, anzóis e redes de espera. Imediatamente após o evento, locais perto do ponto de introdução de óleo apresentavam uma ictiofauna menos diversa. Porém, um ano depois, a fauna íctica do Arroio Saldanha mostrou sinais de recuperação, enquanto isso nenhum peixe foi coletado durante todo ano nas bases localizadas à montante dos rios Barigüi e Iguaçu. Os resultados indicam fortemente que o impacto do derramamento de óleo na ictiofauna destes rios foi minimizado devido ao estado anterior dos rios, altamente poluído, indicado pela ausência de espécies de peixes à montante dos locais de coleta, que nunca foram diretamente expostos à mancha de óleo. O estudo histopatológico das brânquias e do fígado de duas espécies de peixes, foi utilizado para avaliar o impacto do óleo na ictiofauna dos rios afetados. A escolha da espécie de peixe reflete sua disponibilidade ao longo do ano e em função da sua posição no ecossistema. O Astyanax sp é principalmente pelágico e o Corydoras paleatus é demersal; essas espécies de peixes devem, então, indicar a sanidade ambiental destes dois compartimentos de rios. A distribuição espacial e temporal das alterações histológicas foi analisada em mais de 10 indivíduos de cada espécie de peixe, das coletas feitas em 5 bases. Um índice de impacto relativo (IRI) foi determinado nomeando um peso para a extensão de cada patologia observada, nas seções de cada órgão de cada peixe (ii = 1 ou 2, para patologias moderadas ou severas, respectivamente). O IRI de cada órgão de cada espécime de peixe foi calculado como o impacto médio dos danos histológicos observados, usando a fórmula: IRI = Gii/n. Variações do IRI da brânquia e do fígado sugerem uma regeneração relativa da qualidade ambiental dos rios impactados. Um melhor entendimento do impacto causado pelo derramamento de óleo no sistema aquático foi bastante prejudicado pela presença de outros incidentes permanentes ou esporádicos de agressão ambiental a qual estes rios estão submetidos.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectÁgua - Poluição por petróleo - Iguaçu,Rio (PR e Argentina)pt_BR
dc.subjectIctiologia - Iguaçu,Rio (PR e Argentina)pt_BR
dc.subjectImpacto ambiental - Iguaçu,Rio (PR e Argentina)pt_BR
dc.subjectTesespt_BR
dc.titleAvaliaçao dos impactos de derramamento de óleo sobre a ictiofauna do altíssimo, alto e médio Rio Iguaçu, Paraná, Brasilpt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record