Show simple item record

dc.contributor.advisorReis, Rodrigo Siqueirapt_BR
dc.contributor.authorCamargo, Edina Maria dept_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências Biológicas. Programa de Pós-Graduação em Educação Físicapt_BR
dc.date.accessioned2018-02-01T13:12:13Z
dc.date.available2018-02-01T13:12:13Z
dc.date.issued2012pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/27887
dc.descriptionOrientador : Prof. Dr. Rodrigo Siqueira Reispt_BR
dc.descriptionDissertaçao (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciencias Biológicas, Programa de Pós-Graduação em Educaçao Física. Defesa: Curitiba,09/03/2012pt_BR
dc.descriptionBibliografia: fls. 75-78pt_BR
dc.descriptionÁrea de concentraçao: Exercício e esportept_BR
dc.description.abstractResumo: O objetivo da presente dissertação foi compreender as barreiras e os facilitadores para utilização da bicicleta em adultos residentes na cidade de Curitiba/Paraná, nos seguintes padrões de uso: lazer, deslocamento e como estilo de vida. Foi realizado uma revisão sistemática, cujo objetivo foi analisar as evidências disponíveis na literatura acerca das barreiras e facilitadores para o uso da bicicleta no lazer e como forma de deslocamento em adultos. A busca foi realizada nas principais bases indexadoras de artigos (Pubmed, Science Direct, Web of Science, Scielo e Lilacs), com artigos publicados entre 2000 e 2011. Utilizou-se como descritores os termos: barreiras, percepção de barreiras, facilitadores, ciclismo e bicicleta; e seus correspondentes na língua inglesa (barriers, perceived barriers, facilitators, cycling, bicycle, bicycling). Após análise dos critérios de inclusão foram selecionados 8 (oito) artigos, desses, dois utilizaram a técnica de grupos focais e os demais levantamentos transversais por meio de questionários. Os estudos foram publicados na América do Norte (3 Estados Unidos), Europa (1 Espanha, 1 Bélgica, 1 Àustria, 1 Holanda) e Oceania (1 Austrália). O uso da bicicleta foi investigado no lazer e no deslocamento, tendo como maior barreira a dimensão "ambiente físico" (falta de ciclovias, falta de vestiários, falta de segurança) e como facilitador mais relatado a dimensão "culturais sociais" (apoio da família, apoio dos amigos, possuir companhia) e "ambiente físico". As evidências da literatura sugerem que a compreensão de barreiras e facilitadores para o uso da bicicleta podem contribuir no desenvolvimento de intervenções, o que pode aumentar o número de usuários. E que barreiras e facilitadores sofrem alteração de acordo com a população investigada. Para compreender as barreiras e os facilitadores para o uso da bicicleta em adultos na cidade de Curitiba/Paraná, foi utilizado a técnica de grupos focais e investigado adultos (50% mulheres), com idade entre 18-65 anos, usuários de bicicleta nas dimensões lazer e deslocamento e ainda, usuários ativistas. Foi formado 6 grupos focais, sendo 2 grupos lazer (homem e mulher), 2 grupos deslocamento (homem e mulher) e 2 grupos ativistas (homem e mulher). O gereciamento e a interpretação dos dados foi realizado com a ajuda da ferramenta Atlas.ti, um software que facilita a interpretação dos relatos. Os resultados demonstraram que os fatores de influência (positivos e negativos) para o uso da bicicleta sofrem alteração de acordo com a população investigada Na pesquisa com grupos focais o maior número de relatos, em sua totalidade, pertenceu ao aspecto negativo (58%), entre esses, a dimensão mais citada foi o "Ambiente Físico" com 69% dos relatos, seguido das dimensões "Psicológicos, Emocionais e Cognitivos" (15%) e "Culturais Sociais" (14%). O ambiente físico revelou-se uma das maiores barreiras para o uso da bicicleta em adultos da cidade de Curitiba, tendo como principais fatores de influência negativa, a "Falta de Segurança" com 22,4% e a "Falta de Ciclovia" com 14,1%. Em relação aos aspectos positivos as dimensões tiveram as seguintes proporções:"Ambiente Físico" com 36% dos relatos, seguido das dimensões "Psicológicos, Emocionais e Cognitivos" (34%) e "Culturais Sociais" (30%), em sua totalidade. Tendo como fatores de influência positiva mais citados, o"Bem estar" com 19,8% e o "Apoio da Família" com 10,2%. Os fatores de influência sofrem uma pequena alteração de acordo com o gênero e o padrão de uso. Já as dimensões que estes fatores estão incluídos são semelhantes em todos os grupos. Os resultados obtidos são importantes para uma melhor compreensão do uso da bicicleta e sugerem as dimensões em que as intervenções devem ser desenvolvidas, para que seja possível aumentar o número de adultos usuários de bicicleta no lazer e no deslocamento. Concluise que independente da cultura, barreiras e facilitadores precisam ser investigados para que seja possível aumentar o número de adultos usuários de bicicleta no lazer e no deslocamento.pt_BR
dc.description.abstractAbstract: The aim of this thesis was to understand the barriers and facilitators to bicycling among adults living in the city of Curitiba/Paraná, in the following usage patterns: leisure, travel and as a lifestyle. This dissertation is composed by two main studies, a review and an original. At first, we performed a systematic review, which analyzed the available evidence in the literature about barriers and facilitators for the use of bicycles as leisure or means of transportation in adults. We conducted a search for articles in indexing databases (Pubmed, Science Direct, Web of Science, Scielo and Lilacs), with articles published between 2000 and 2011. We used the following terms as descriptors: barriers, perceived barriers, facilitators, cycling, bicycling and bicycle as well as the corresponding in English. After analyzing the inclusion criteria, 8 (eight) articles were selected, of which two used the technique of focus groups and the others used questionnaires. The studies were published in North America (3 U.S.), Europe (1 Spain, 1 Belgium, 1 Austria, 1 Netherlands) and Oceania (1 Australia). The cycling was researched in leisure and means of transportation and the biggest barrier found was the "physical environment" (lack of bike lanes, lack of changing facilities, lack of security) and reported as a facilitator over the dimension "social culture" (family support, support of friends, companionship) and "physical environment". The evidence from the literature suggests that the understanding of barriers and facilitators to the use of bicycles can contribute to the development of interventions that increase the number of users and that such barriers and facilitators suffer changes according to the population investigated. In the second study, we used the technique of focus groups with the aim of understanding the barriers and facilitators to the use of bicycles in adults in the city of Curitiba/Paraná. We investigated adults (50% women) aged 18-55 years, users of bicycle in leisure time and commuting dimensions and also activist users. Six focus groups were formed: two leisure groups (male and female); two commuting groups (male and female); and two activist groups (male and female). We applied the content analysis to interpret qualitative data, with the help of the tool Atlas.ti, a software that facilitates the management and interpretation of reports. The results showed that the factors of influence (positive and negative) for the use of bicycles undergo changes according to the population investigated. In the focus group research, the greatest number of reports had a larger number of negative aspects (58%) and among those, the most often cited was the "physical environment" with 69% of the reports, followed by the dimensions "psychological, emotional and cognitive" (15%) and "social culture" (14%). The physical environment has proven to be one of the biggest barriers to bicycle use among adults in the city of Curitiba. The main negative influence is the "lack of security" with 22,4% and "lack of bike lanes" with 14,1%. Regarding the positive dimensions were the following proportions: "physical environment" with 36% of the reports, followed by the dimensions "psychological, emotional and cognitive" (34%) and "social culture" (30%). The most frequently cited positive influence were "wellness" with 19,8% and "family support" with 10,2%. The influencing factors undergo a small change according to gender and usage pattern. The dimensions of these factors are similar in all groups. The results are important for a better understanding of bicycle use among adults in the city of Curitiba and the dimensions suggest that interventions should be developed so that you can increase the number of adults who bike for leisure and means of transportation. We conclude that regardless of cultures, barriers and facilitators need to be investigated so that you can increase the number of adults who bicycle for leisure and as means of transportation.pt_BR
dc.format.extent91f. : il. [algumas color.], grafs., tabs.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.relationDisponível em formato digitalpt_BR
dc.subjectCiclismopt_BR
dc.subjectBicicletaspt_BR
dc.subjectEducação físicapt_BR
dc.titleBarreiras e facilitadores para o uso de bicicleta em adultos na Cidade de Curitiba : um estudo com grupos focaispt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record