Show simple item record

dc.contributor.authorMartins, Luciane Tucholskipt_BR
dc.contributor.otherLeonart, Maria Suely Soares, 1949-pt_BR
dc.contributor.otherNascimento, Aguinaldo José do, 1946-pt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciencias da Saúde. Programa de Pós-Graduaçao em Ciencias Farmaceuticaspt_BR
dc.date.accessioned2012-09-10T13:29:57Z
dc.date.available2012-09-10T13:29:57Z
dc.date.issued2012-09-10
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/27770
dc.description.abstractResumo: No Brasil, como em muitos outros países, a prevalência de doenças sexualmente transmissíveis (DST), incluindo a infecção por papilomavírus humano (HPV); bem como de câncer cervical, é elevada e se relaciona a aspectos educacionais e à insuficiência de políticas públicas adequadas. As populações prisionais estão entre as mais afetadas, devido ao desajuste social derivado dos resultantes da exclusão, que advém da carência de condições básicas de sobrevivência. Estudou-se 798 mulheres da Penitenciária Feminina de Sant' Ana - São Paulo-SP, com o seguinte perfil, de acordo com seus próprios relatos: 18 e 35 anos (70%); solteiras ou separadas (61%); com filhos (80%); abortos anteriores (42%); analfabetas (3%) ensino fundamental parcial ou completo (57%); renda de menos de 1 salário mínimo (39%); fumantes (66%), alcoolistas (57%), usuárias de drogas (56%); início da atividade sexual (IAS) entre 12 e 17 anos (81%); múltiplos parceiros sexuais (87%); heterossexuais (80%); não uso ou, uso esporádico de preservativos nas relações sexuais (73%); intercorrências anteriores de lesões ou sinais clínicos de DST (31%); realização anterior do exame de Papanicolaou (86%). No exame de Papanicolaou das detentas (n=620), observou-se 541 casos negativos para lesões intraepiteliais ou malignidade (NILM) e 79 de anormalidades epiteliais cervicais. Os principais organismos detectados foram: Gardnerella vaginalis e ou Mobiluncus sp (23,7%), Trichomonas vaginalis (11,5%) Candida spp (4,4%) e Chlamydia trachomatis (1,7%). Houve 13% de frequência de anormalidades epiteliais: 3,1% ASC-US, 1% ASC-H, 1% AGC, 5,2% LSIL e 2,4% HSIL. Entre as mulheres que apresentaram como microbiota Trichomonas vaginalis, 94% (29 em 31) não apresentaram sintomatologia, como também 55% (12 em 22) das que apresentaram Candida spp. Mulheres que relataram corrimento apresentaram sua microbiota vaginal composta Candida spp 41% (9 em 22) e Lactobacillus sp 22% (29 em 129). As mulheres que apresentaram anormalidades epiteliais, mostraram microbiota compatível com vaginose bacteriana (32,9%), Trichomonas vaginalis (10,2%) e Chlamydia sp (6,4%). Houve aumento da frequência de anormalidades epiteliais relacionado a: relato de infecções por HPV (31,3%, p=0,000), e HIV (50%, p=0,000); pouca escolaridade (17,2%, ensino fundamental; 6,2%, ensino médio); baixa renda (15,8%, 1 a 2 salários mínimos; 3,3%, 3 a 5 salários); tabagismo (15,2%, intenso e 16,3%, moderado; 7%, não fumantes); IAS precoce (50%, 9 anos; 9,5%, 15 anos); número de parceiros sexuais (29%, mais de 100; 4,1%, 1); ocorrência de abortos (16,5%, sim; 9,8%, não). A associação de vaginose bacteriana e Trichomonas vaginalis foi mais freqüente em mulheres fumantes (54%, intensas; 33%, moderadas; 13%, não fumantes); maior incidência de Lactobacillus sp (22%) e Candida spp (41%) em queixas de corrimento; de vaginose bacteriana para IAS precoce aos (16,1%, 13 anos; 3,6%, 18 anos); de Trichomonas vaginalis para 15 parceiros (13,2%) em relação a apenas um (5,3%). Detectou-se a presença de mRNA E6/E7 de HPV (teste Nuclisens Easy Q) dos tipos 16(44%), 33 (21%), 31 e 45 (14%) e 18 (7%), em 10 de 19 amostras que apresentaram anormalidades epiteliais. Foi possível observar que a população prisional é jovem e, que a baixa escolaridade, renda mensal e idade de IAS; de parição e de abortos anteriores; de multiplicidade de parceiros sexuais e do tabagismo influenciou a ocorrência de DST e de lesões cervicais pré-neoplásicaspt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectTesespt_BR
dc.subjectHPVpt_BR
dc.subjectDoenças sexualmente transmissiveispt_BR
dc.titleDoenças sexualmente transmissíveis e lesões intraepiteliais cervicais na Penitenciária Feminina Sant'Ana, São Paulo - SPpt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record