Show simple item record

dc.contributor.authorHill, Joao Ari Gualbertopt_BR
dc.contributor.authorFlemming, Jose Sidney, 1949-pt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciencias Agrárias. Programa de Pós-Graduaçao em Ciencias Veterináriaspt_BR
dc.date.accessioned2012-08-24T14:56:34Z
dc.date.available2012-08-24T14:56:34Z
dc.date.issued2012-08-24
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/27649
dc.description.abstractResumo: No ano agrícola de 1998/1999 foi conduzido no município de São José dos Pinhais, PR, experimento com o objetivo de avaliar dois genótipos de girassol como forragem. Os genótipos DK-180 e Rumbosol 91 foram caracterizados morfologicamente e avaliados quanto a sua composição nutricional, em 3 estádios de desenvolvimento. O delineamento experimental utilizado foi o de blocos ao acaso em arranjo fatorial 2 x 3 (dois genótipos e três estádios), com três repetições para as características morfológicas e produção de matéria verde e seca. Para as análises bromatológicas foram utilizadas 6 repetições. O plantio dos genótipos foi realizado em novembro de 1998 e as plantas do genótipo DK-180 foram colhidas 85, 97 e 111 dias após o plantio. As plantas do genótipo Rumbosol 91 foram colhidas 97, 105 e 112 dias após o plantio. As características morfológicas não diferiram entre os estádios de desenvolvimento, exceção feita para o número de folhas verdes que foi menor nos estádios mais tardios em comparação aos estádios mais precoces. O genótipo Rumbosol 91 apresentou maior altura, maior número de folhas verdes, perímetro de caule superior e maior número de nós que o genótipo DK-180. O diâmetro do capítulo não diferiu estatisticamente entre os genótipos (P>0,05). O genótipo Rumbosol 91 apresentou maior produção de matéria verde e seca que o genótipo DK-180. Quanto às análises bromatológicas, o genótipo DK-180 foi considerado de melhor qualidade que o Rumbosol 91. Os teores de matéria seca nos estádios R7 e R8, apresentaram-se baixos para a utilização do girassol como silagem, no entanto, a planta do girassol foi considerada uma forrageira de boa qualidade, podendo ser utilizada nos estádios estudados como capineira. A concentração de extrato etéreo na planta inteira do girassol foi alta: 12,12% (R7), 11,19% (R8) e 14,35% (R9), indicando cautela na sua utilização como única fonte alimentar dos ruminantes.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.titleAvaliaçao da qualidade de dois genótipos de girassol como forragempt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record