Show simple item record

dc.contributor.authorArana, Luis Augustopt_BR
dc.contributor.otherMoreira, Ana Tereza Ramospt_BR
dc.contributor.otherMaia, Mauricio, 1961-pt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciencias da Saúde. Programa de Pós-Graduaçao em Clínica Cirúrgicapt_BR
dc.date.accessioned2012-08-24T13:38:43Z
dc.date.available2012-08-24T13:38:43Z
dc.date.issued2012-08-24
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/27618
dc.description.abstractResumo: Objetivos: Desenvolver um modelo animal de neovascularização retiniana através de uma ou duas injeções do fator de crescimento do endotélio vascular (VEGF) 165 na cavidade vítrea de coelhos. Avaliar esse modelo com angiografia fluorescente (AF), tomografia de coerência óptica (OCT) e análise histopatológica. Materais e métodos: Doze coelhos foram divididos em três grupos. Grupo I (n=3) recebeu injeção intra-vítrea de 0.1 mL de solução salina balanceada (grupo controle). Grupo II (n=6) recebeu 10 ?g de VEGF no dia 0; grupo III foi aplicado 10 ?g de VEGF no dia 0 e 7. O acompanhamento (dia 0,3,7,14,21,28) incluiu fotografia colorida do fundo de olho, AF, OCT e exame histopatológico. Os olhos foram removidos e corados com hematoxilina e eosina (HE). Resultados: Os animais do grupo I (controle) não apresentaram alterações no globo ocular durante os 28 dias de acompanhamento. Por outro lado os olhos do grupo II (uma injeção de VEGF) demonstraram após 72 horas da aplicação dilatação e tortuosidade dos capliares retinianos, já a neovascularização foi detectada no dia 7 e regrediu na segunda semana. No grupo III (duas injeções de VEGF) o vazamento dos capilares retinianos e a neovascularização se acentuaram até o dia 14 e ao final do acompanhamento tanto a histologia como o OCT evidenciaram o descolamento de retina tracional. O estudo histopatológico demonstrou um aumento no tamanho do calibre dos vasos tanto do grupo II e III ao se comparar com o controle. Conclusão: Os resultados demonstram um modelo animal eficiente e confiável de neovascularização de retina pela AF, OCT e histopatologia. Uma injeção de angiogênico desenvolve a neovascularização de retina que regride após sete dias, já duas aplicações desenvolvem uma neovascularização mais intensa, que após quatro semanas evolui para o descolamento de retina.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectTesespt_BR
dc.subjectNeovascularizaçãopt_BR
dc.subjectModelos animaispt_BR
dc.subjectAngiofluoresceinografiapt_BR
dc.subjectTomografia de coerência ópticapt_BR
dc.subjectEndotelio vascularpt_BR
dc.titleNeovascularização retiniana induzida por injeções intravítreas de Vegf 165pt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record