Show simple item record

dc.contributor.advisorMoreira, Neipt_BR
dc.contributor.authorFrancisco, Luiz Robertopt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciencias Biológicas. Programa de Pós-Graduaçao em Zoologiapt_BR
dc.date.accessioned2012-08-21T16:48:16Z
dc.date.available2012-08-21T16:48:16Z
dc.date.issued2012-08-21
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/27510
dc.description.abstractResumo: Foi realizado um estudo no sentido de levantar informações referentes à reprodução e manejo de psitacídeos neotropicais, em cativeiro e em vida livre. Para tanto, foram reunidas informações sobre a distribuição geral dos representantes da família e dos aspectos que afetam a conservação dos psitacídeos neotropicais. Foram discutidas ameaças como a perda do habitat natural e o tráfico de animais silvestres, que estão entre as principais responsáveis pelo declínio e extinção de psitacídeos neotropicais. Para o Brasil, detentor do maior número de espécies de psitacídeos no mundo, com um número em torno de 82 espécies, foram levantadas questões conceituais quanto à legislação referente ao manejo de fauna ex situ, sinopse da conservação e dificuldades para proteção dos Biomas Amazônia, Cerrado, Caatinga, Pantanal, Mata Atlântica e Pampas. Aspectos referentes à nutrição de psitacídeos em vida livre e o desenvolvimento de rações específicas para psitacídeos que permitiram proporcionar dietas nutricional adequadas em cativeiro foram abordados, assim como sua importâncias para manejos de indução a uma maior oviposição. Considerando o histórico e presente sobre ações de conservação de Psittacidae, que normalmente não incluem ações de manejo reprodutivo ex situ, realizou-se um estudo que buscou avaliar a resposta reprodutiva dos casais à retirada de ovos e filhotes em cativeiro, comparando com os dados de vida livre. Os trabalhos foram conduzidos em dois criadouros comerciais de psitacídeos silvestres nativos: o criadouro Recanto das Aves, situado em Colina – SP e o criadouro Asas do Brasil, situado em Novo Hamburgo – RS. Foram avaliadas as produções de 176 casais reprodutivamente ativos, de 8 espécies: Amazona aestiva (papagaio-verdadeiro), Amazona amazonica (papagaio-do-mangue), Amazona vinacea (papagaio-de-peito-roxo), Amazona festiva (papagaio-da-várzea), Ara ararauna (arara-canindé), Ara chloropterus (arara-vermelha-grande), A. macao e G. guarouba (ararajuba). Esse estudo mostrou que a retirada de ovos em cativeiro aumentou a produção de ovos nas espécies estudadas em diferentes níveis, quando comparados aos dados de vida livre, enquanto a retirada de filhotes com idade de 1 a 20 dias não se mostrou um procedimento eficiente quanto a induzir um número maior de posturas. Técnicas de manejo reprodutivo em cativeiro podem contribuir direta e indiretamente em ações de conservação. A utilização de procedimentos que levem a um aumento de produção permite que criadouros comerciais possam tornar mais acessíveis ao mercado um maior número de indivíduos criados legalmente em cativeiro, diminuindo a pressão de tráfico sobre populações de vida livre, de maneira a atender a uma demanda que historicamente tem sido atendida pelo tráfico de animais silvestres.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectTesespt_BR
dc.subjectPapagaio (Ave)pt_BR
dc.subjectAve - Reproduçãopt_BR
dc.subjectAve - Criaçãopt_BR
dc.titleResposta reprodutiva de psitacídeos neotropiais em cativeiro à retirada de ovos e filhotespt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record