Show simple item record

dc.contributor.advisorReissmann, Carlos Brunopt_BR
dc.contributor.authorAnjos, Ana Rosa Martins dospt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciencias Agrárias. Programa de Pós-Graduaçao em Ciencia do Solopt_BR
dc.date.accessioned2012-08-21T16:18:43Z
dc.date.available2012-08-21T16:18:43Z
dc.date.issued2012-08-21
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/27506
dc.description.abstractO presente trabalho teve por objetivo avaliar a influência dos resíduos oriundos da mineração do folhelho pirobetuminoso (xisto) da formação Irati em São Mateus do Sul, PR, no desenvolvimento e na composição química da aveia preta (Avena strigosa Schreber, var. Fläm nova), bem como a influência de se regar as plantas com água deionizada ou com solução nutritiva. O experimento foi instalado em casa de vegetação, sendo montado em delineamento de blocos ao acaso, com tratamento fatorial 4X2, ou seja, 4 substratos distintos, 2 soluções de rega (água deionizada e solução nutritiva), em 4 repetições. Os materiais utilizados para a constituição dos substratos foram horizontes A e B do Latossolo Vermelho Escuro Alico, finos de xisto no estado natural e macerado e xisto retortado, sendo obtidos os seguintes substratos: S1) 100% solo, controle; S2) 50% solo + 50% finos de xisto macerado; S3) 50% solo + 50% finos de xisto natural e S4) 50% solo + 50% xisto retortado. O pH destes substratos foi corrigido com CaCO3 p. a. Decorridos 7 dias de incubação semeou-se a aveia preta. O experimento foi conduzido durante 47 dias com regas diárias de água deionizada e de solução nutritiva. Após este período determinou-se a altura média, a massa seca foliar e também realizou-se digestão total da parte aérea foliar, com extração em HNO3 e HClO4 (5:1). Posteriormente determinou-se quantitativamente por espectrometria de emissão de plasma os seguintes elementos: Cd, Pb, Co, Cu, Cr, Fe, Mn, Mo, Ni e Zn. Os resultados obtidos permitem concluir que, em todos os tratamentos, os teores foliares dos elementos analisados excederam aos teores observados em gramíneas oriundas de regiões não contaminadas, com exceção dos teores foliares de Fe e Zn, este último só excedeu quando as plantas foram regadas com solução nutritiva e desenvolvidas no substrato S4. As plantas regadas com solução nutritiva apresentaram maior desenvolvimento e produção de massa seca. Os finos de xisto macerado contribuíram para que as plantas apresentassem maior desenvolvimento, produção de massa seca e maior teor foliar de Mn, este último somente quando regadas com solução nutritiva. O xisto retortado contribuiu para que as plantas apresentassem maiores teores foliares de Fe, Zn e Mo, sendo os maiores teores foliares de Mo observados somente nas plantas regadas com água deionizada. De todos os tratamentos estudados somente os teores foliares de Mn e Cr atingiram níveis capazes de causar toxidez às plantas, porém os teores tóxicos de Cr dependeram do substrato de desenvolvimento e das regas administradas. Quanto a toxidez aos animais, verificou-se que somente os teores foliares de Cd, Mo e Mn seriam capazes de causar sintomas de toxidez aos mesmos, entretanto somente as plantas regadas com solução nutritiva e desenvolvidas nos substratos S2 e S3 apresentaram teores foliares de manganês que poderiam ser tóxicos aos animaispt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectTesespt_BR
dc.subjectAveia - Cultivopt_BR
dc.subjectPlantas - Efeito dos metais pesadospt_BR
dc.titleInfluencia dos residuos da mineração do xisto no crescimento e na composição quimica da aveia preta (Avena strigosa Schreber, var. Flam nova), cultivada em vaso, com enfase em metais pesadospt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record