Show simple item record

dc.contributor.advisorPrevedello, Celso Luiz, 1952-pt_BR
dc.contributor.authorLange Jr., Francisco Lotharpt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciencias Agrárias. Programa de Pós-Graduaçao em Ciencia do Solopt_BR
dc.date.accessioned2012-08-21T15:03:40Z
dc.date.available2012-08-21T15:03:40Z
dc.date.issued2012-08-21
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/27505
dc.description.abstractResumo: Objetivando avaliar a magnitude da variação espacial de propriedades físicas do solo em área submetida à exploração mineral do "xisto", em São Mateus do Sul (Paraná), foi empregada a Teoria das Variáveis Regionalizadas, através do uso de autocorrelogramas e de crosscorrelogramas. 2397 amostras foram coletadas ao longo de três transeções, sendo duas em áreas já submetidas a processos de mineração, recompostas através de diferentes técnicas e uma terceira, com as características pedológicas ainda preservadas. Intervalos de amostragem de 20 e 200cm foram adotados na coleta de amostras nas transeções. As propriedades físicas estudadas, até 30cm de profundidade, foram: umidade gravimétrica, massa específica do solo (em duas camadas), massa específica das partículas, areia, silte, argila, armazenamento de água e porosidade total. Valores de pH e de altura de plantas de milho também foram considerados numa das áreas. Os resultados mostraram que os efeitos das técnicas adotadas na recomposição dos solos foram distintos entre si, com exceção para a massa específica do solo (camada de 0-15cm) e para a porosidade total, que se mostraram sem dependência espacial. Além disso, essas técnicas promoveram alterações na estrutura espacial da areia, com conseqüentes mudanças nos comprimentos de autocorrelação da umidade gravimétrica, armazenamento e pH do solo que, na área em reabilitação, correlacionaram-se espacialmente com a altura de plantas. O tamanho de domínio que cada amostra representou na transeção foi dependente do espaçamento entre amostragens, implicando na dificuldade de se definir a técnica preferencial de recomposição do solo, e de se selecionar intervalos espacIaIs em futuros esquemas de amostragens nas áreas. O trabalho ainda conclui que podem ser cometidos erros apreciáveis quando se assume que o comprimento da autocorrelação é único na transeção, seja pela altas variâncias associadas aos maiores intervalos de amostragem, seja pela carência de estacionar idade do sistema. Finalmente, foi concluido que dos dois critérios adotados para se estabelecer o comprimento da autocorrelação, o visual gráfico não diferiu do conceito de escala integral em 957. dos casos.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectSolos de mineraçãopt_BR
dc.subjectMineralogia do solopt_BR
dc.subjectTesespt_BR
dc.titleVariabilidade espacial de propriedades fisicas do solo em area de mineraçãopt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record