Show simple item record

dc.contributor.authorPrati, Francisca Sonia de Melopt_BR
dc.contributor.otherBoguszewski, Margaret Cristina da Silvapt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências da Saúde. Programa de Pós-Graduação em Saúde da Criança e do Adolescentept_BR
dc.date.accessioned2019-02-05T15:20:29Z
dc.date.available2019-02-05T15:20:29Z
dc.date.issued2012pt_BR
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/1884/27346
dc.descriptionOrientadora: Profª Drª Margaret Cristina da Silva Boguszewskipt_BR
dc.descriptionDissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Saúde da Criança e do Adolescente. Defesa: Curitiba, 20/12/2011pt_BR
dc.descriptionBibliografia: fls. 109-116pt_BR
dc.descriptionÁrea de concentração: Endocrinologia Pediátricapt_BR
dc.description.abstractResumo: O número crescente de bebês que nascem com baixo peso em várias regiões do mundo e do Brasil fez aumentar a demanda por estudos abordando este tema, principalmente quanto à consequências futuras do tamanho ao nascimento para essas crianças. O baixo peso ao nascer pode estar associado ao nascimento prematuro e ao crescimento menor do que o desejável para o tempo de gestação. O tabagismo, a idade, o peso e altura da gestante, doenças como infecção urinária e hipertensão arterial, são alguns dos fatores que podem levar ao nascimento com baixo peso. Entretanto, o atendimento oferecido à gestante, como o número de consultas de prénatal e a qualidade das informações transmitidas e decodificadas durante a gestação e crenças populares e arraigadas a gerações também podem interferir no tamanho ao nascimento. Justificativa: A identificação de fatores que possam causar nascimentos de baixo peso é importante para a interrupção da cadeia causal deste problema e para a busca de estratégias para a sua prevenção (OMS, 2004). Uma dessas estratégias foi a inclusão da melhoria da saúde materna como uma das oito metas do milênio estabelecidas pela Organização das Nações Unidas (ONU), a serem atingidas até 2015. Objetivos: 1) avaliar os efeitos da intervenção direta nas comunidades e junto às gestantes, fundamentando-se em estratégias de comunicação popular através da informação e orientações trabalhadas e acompanhadas de modo individual e comunitário e propor formas de intervenção direta; 2) analisar, em entrevistas e reuniões com as gestantes, os fatores que contribuem para o nascimento com baixo peso. Material e Métodos: Estudo de caráter populacional. População: amostra de 3.068 gestantes atendidas pelo SUS - Sistema Único de Saúde - nas comunidades da Região Metropolitana de Curitiba (RMC), Paraná. A intervenção se deu com a participação do pesquisador em grupos de gestantes já ativos e com a formação de novos grupos. As reuniões com as gestantes eram mensais e o Mutirão em Busca das Gestantes, com o objetivo de captar as gestantes no início da gestação, foi realizado a cada três meses. Cada grupo reunia em média 15 gestantes. O pesquisador levou às reuniões com os grupos de gestantes um conteúdo interativo sobre o pré-natal e o parto, com ênfase nos elementos necessários para uma gestação saudável. Foram utilizadas técnicas de comunicação popular, apoiadas em práticas de boa saúde. Além disso, voluntários de cada comunidade foram capacitados pelo pesquisador para continuar aplicando a metodologia desse estudo, atuando assim como multiplicadores do conteúdo aprendido, reforçando nas comunidades a prevenção do baixo peso ao nascer. Resultados: 3.068 gestantes da RMC participaram de reuniões mensais, no período de Julho de 2007 a Dezembro de 2009. Os municípios da RMC foram agrupados em Sul, Norte, Noroeste, Oeste e São José dos Pinhais. As gestantes foram acompanhadas em suas próprias comunidades. A média de baixo peso ao nascer para as gestantes incluídas no presente estudo foi de 7,3%. A média anterior ao estudo era de 10,0% para o município de Curitiba e 9,5% para os demais municípios da Região Metropolitana (DATASUS, 2007). Os principais fatores de risco trabalhados com as gestantes foram tabagismo, consumo de drogas, uso de medicamentos sem prescrição, déficit nutricional e ausência às consultas de pré-natal. Conclusão: Com medidas simples e técnicas de comunicação popular, de baixo custo e grande impacto aglutinador, foi possível reduzir o índice de crianças nascidas com baixo peso nas comunidades acompanhadas e verificar uma mudança no modo das gestantes encararem seus direitos e também deveres com relação ao pré-natal. Também foi possível notar um crescente comprometimento dessas mulheres com sua gestação e com a saúde de seus bebês, tornando-as protagonistas numa relação de partilha de experiências, vivências e saberes.pt_BR
dc.description.abstractAbstract: The increasing number of babies that are born with low weight in the South of Brazil made increase the demand for studies approaching this theme, mainly as to the future consequences of size at birth for these children. The low weight at birth can be associated to smoking, the age and height of the pregnant woman, diseases like urinary infection and high blood pressure are factors that can take to birth with low weight. However, the assistance offered to the pregnant woman, like number of pre natal appointments and the quality of information transmitted and decoded during the pregnancy and the popular and rooted beliefs for generations can also interfere in the size at birth. Justificative: The identification of factors that can cause births of low weight is important for the interruption of the cause chain of this problem and for the search of strategies for its prevention (WHO, 2004). One of these strategies was the inclusion of mother health improvement as one of the 8 goals of the millennium established by the United Nations Organization (ONU), to be achieved until 2015.Goals: 1) to propose ways of direct intervention in the communities and next to the pregnant women, basing in strategies of popular communication through the information/orientation labored and followed up individually and in the community; 2) analyze with the pregnant women the factors that contribute for the birth with low weight. Material and Methods: Study of populational character. Population: sample of 3,068 pregnant women assisted by the SUS - Single Health System - in the communities of Curitiba Metropolitan Region, Paraná. The intervention happened with the participation of the research in previously existing groups of pregnant women and the formation of new groups. The researcher took to the meetings with the pregnant women groups an interactive contents about the pre natal and the birth, with emphasis in the needed elements for a healthy pregnancy. It was used techniques of popular communication, supported in good health practices. Besides this, volunteers of each community were trained by the researcher to continue applying the methodology of this study, acting as multipliers of the learned contents, strengthening in the communities the prevention of low weight at birth. Results: 3,068 pregnant women of Curitiba Metropolitan Region (RMC) participated of the monthly meetings, in the period of July 2007 to December 2009. The municipalities of RMC were grouped in South, North, Northwest, West and São José dos Pinhais. The pregnant women were followed up in their own communities. The average of low weight at birth for the pregnant women included in the present study was of 7.3%. The main risk factors worked with the pregnant women were smoking, drug addiction, use of medications without prescription, nutritional deficit and absence in the pre natal appointments. Conclusion: With simple measures and popular communication techniques, of low cost and big unifying impact, it was possible to reduce the impact the index of children born with low weight in the followed up communities and to verify a change in the way the pregnant women face their rights and also duties in relation of pre natal. The meetings with the pregnant women were monthly and the task force in search of pregnant women, with the goal of attracting pregnant women in the beginning of the pregnancy, it was done every three months. Each group had an average of 15 pregnant women. It was also possible to note an increasing compromise of these women with their pregnancy and with the health of their babies, turning them role players in a relationship of sharing of experiences and knowledge.pt_BR
dc.format.extent144f. : il. [algumas color.], grafs., tabs.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.relationDisponível em formato digitalpt_BR
dc.subjectTesespt_BR
dc.subjectGestantespt_BR
dc.subjectRecém-nascido de baixo pesopt_BR
dc.subjectFatores de riscopt_BR
dc.subjectPediatriapt_BR
dc.titleBaixo peso ao nascer : análise crítica e proposta de trabalho com gestantes em comunidades da Região Metropolitana de Curitiba - Estado do Paranápt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record