Show simple item record

dc.contributor.advisorSarquis, Leila Maria Mansanopt_BR
dc.contributor.authorMiranda, Fernanda Moura D'Almeidapt_BR
dc.contributor.otherCruz, Elaine Drehmer de Almeidapt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências da Saúde. Programa de Pós-Graduação em Enfermagempt_BR
dc.date.accessioned2018-07-12T18:02:41Z
dc.date.available2018-07-12T18:02:41Z
dc.date.issued2011pt_BR
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/1884/27052
dc.descriptionOrientadora: Profª Drª Leila Maria Mansano Sarquispt_BR
dc.descriptionCoorientadora: Profª Drª Elaine Drehmer de Almeida Cruzpt_BR
dc.descriptionDissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Enfermagem. Defesa: Curitiba, 08/12/2011pt_BR
dc.descriptionBibliografia: fls. 81-93pt_BR
dc.descriptionÁrea de concentração: Prática profissional de enfermagempt_BR
dc.description.abstractResumo: O acidente de trabalho com exposição a fluidos biológicos é uma das grandes preocupações do trabalhador de saúde por causa do risco de contrair doenças infecciosas. Este estudo de abordagem quantitativa e qualitativa, modalidade exploratória, teve como sujeitos quinze trabalhadores de saúde e oito gerentes de recursos humanos do município de Curitiba/Paraná. Os dados foram coletados, por meio de entrevista estruturada, no período de 20 de outubro de 2010 a 02 de junho de 2011. Os resultados foram analisados em categorias associadas aos seis pressupostos do Modelo de Crenças em Saúde. Na categoria I: Suscetibilidade Percebida, unidade temática I- a percepção do risco para a aquisição da doença, os trabalhadores e os gerentes reconheceram este risco pós-acidente. Na categoria II: Severidade Percebida; unidade temática II- os sentimentos vivenciados pós-acidente, os trabalhadores acreditam na severidade da aquisição de doenças pós-acidente e também relatam sentir medo relacionado à atividade laboral, qualidade de vida e saúde. Os gerentes vivenciam, junto aos trabalhadores, a percepção da severidade dos acidentes e acreditam que as instituições devem arcar com as responsabilidades trabalhista, previdenciária e civil ocasionadas pelos acidentes. Na categoria III: Benefícios Percebidos, unidade temática III- facilidades encontradas pós-acidente, os trabalhadores apontam as mudanças comportamentais com atitudes preventivas e a valorização da educação em serviço, enquanto os gerentes citam que a instituição contribui com o trabalhador na flexibilização do horário de trabalho para a realização do monitoramento pós-acidente e o documenta, sendo esse um benefício para a instituição frente às ações trabalhistas. Na categoria IV: Barreiras Percebidas, unidade temática IV- as dificuldades encontradas para a prevenção do acidente, os trabalhadores reconhecem que a sobrecarga de trabalho, a falta de estrutura e a ausência do apoio institucional são barreiras. Os gerentes concordam com os trabalhadores no aspecto da desatenção na realização dos procedimentos e apontam-na como principal barreira para a prevenção, além da descrença na ocorrência do acidente, do estresse e do comportamento de risco. Na categoria V: Conceito de Eficácia Pessoal, unidade temática V: os comportamentos para a prevenção são apontados pelos trabalhadores como comportamentos preventivos do indivíduo. Os gerentes não identificam medidas de intervenção capazes de modificar a organização do trabalho. Na categoria VI: Estímulo para Ação, unidade temática VI- responsabilidade da instituição, os trabalhadores e gerentes identificam que o papel institucional é importante para a prevenção desses acidentes bem como a adesão ao protocolo pós-acidente. Os resultados obtidos evidenciam a necessidade de intensificar estímulos para as ações das instituições de saúde para à prevenção de acidentes evidenciaram também o papel do gerente junto ao Serviço Especializado em Segurança e Medicina do Trabalho, como é relevante para uma política institucional de saúde do trabalhador, sendo o enfermeiro o responsável pelo encaminhamento de trabalhadores acidentados e de sua capacitação para adoção de medidas preventivas.pt_BR
dc.description.abstractAbstract: The accident at work involving exposure to biological fluids is a major concern for the health worker because of the risk of contracting infectious diseases. This study of quantitative and qualitative approach, exploratory mode, as subjects had fifteen health workers and eight human resource managers of the city of Curitiba / Paraná. Data were collected through structured interviews, from 20 October 2010 to 02 June 2011. The results were presented in six categories associated with the assumptions of the Health Belief Model In Category I: Perceived Susceptibility, thematic unit I-the perception of risk for acquiring the disease, workers and managers have recognized this risk in post-accident. Category II: Perceived Severity, thematic unit II-feelings experienced after the accident, the workers believe in the severity of disease acquisition and post-accident report also fear related to work activity, quality of life and health. Managers experience, with the workers, the perception of the severity of accidents and believe that institutions should bear the responsibilities labor, social security and civil caused by accidents. In Category III: Perceived Benefits, thematic unit-III facilities found after the accident, workers showed behavioral changes in attitudes and preventive value of in-service education, while managers mentioned that the institution contributes to the worker flexibility in working hours to perform the post-accident monitoring and documenting, making a benefit to the institution in the face of labor action. In Category IV: Perceived Barriers, thematic unit-IV of the difficulties encountered to prevent the accident, workers recognize that the work overload, lack of structure and lack of institutional support are barriers. The managers agree with the workers in the appearance of inattention in procedures and shows it as the main barrier to prevention, in addition to disbelief in the accident, stress and risk behavior. Category V: Concepts of Personal Effectiveness, thematic unit V: prevention behaviors were identified by workers as a preventive behaviors of the individual. The managers did not identify measures of intervention to modify the organization of work. In Category VI: Stimulus for Action, thematic unit VI-responsibility of the institution, workers and managers found that the institutional role is important for the prevention of such accidents as well as adherence to the protocol after the accident. The results show the need for intensified action of the stimuli to health institutions in relation to accident prevention and the role of the manager with the Specialized Safety and Occupational Health is relevant to an institutional policy of workers' health, and the nurse responsible for the routing of injured workers and their capability to adopt preventive measures.pt_BR
dc.format.extent104f. : grafs., tabs.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.relationDisponível em formato digitalpt_BR
dc.subjectTesespt_BR
dc.subjectAcidentes de trabalhopt_BR
dc.subjectSegurança do trabalhopt_BR
dc.subjectSaúde do trabalhadorpt_BR
dc.subjectEnfermagempt_BR
dc.subjectEnfermagempt_BR
dc.titleCrenças e conhecimentos relacionados aos acidentes de trabalho com exposição a fluidos biológicospt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record