Show simple item record

dc.contributor.authorBermudez, Beatriz Elizabeth Bagatin Veledapt_BR
dc.contributor.otherCelli, Adrianept_BR
dc.contributor.otherWeber, Lidia Natalia Dobrianskyjpt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências da Saúde. Programa de Pós-Graduação em Saúde da Criança e do Adolescentept_BR
dc.date.accessioned2018-06-15T20:20:08Z
dc.date.available2018-06-15T20:20:08Z
dc.date.issued2011pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/26948
dc.descriptionOrientadora: Profa. Dra. Adriane Cellipt_BR
dc.descriptionCo-orientadora: Profª Drª Lidia Weberpt_BR
dc.descriptionDissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Saúde da Criança e do Adolescente. Defesa: Curitiba, 2011pt_BR
dc.descriptionBibliografia: fls. 127-141pt_BR
dc.descriptionÁrea de concentração: Medicina do Adolescentept_BR
dc.description.abstractResumo: As transformações biopsicossociais da adolescência colocam os adolescentes transplantados de fígado em maior risco de não aderência ao tratamento e piora da evolução quando comparados a outros grupos etários. Este estudo procura elucidar a influência de fatores psicológicos do paciente e sua família na aderência ao imunossupressor após o transplante hepático. Pacientes e Métodos: Sete instrumentos psicológicos foram aplicados a 30 pacientes transplantados hepáticos adolescentes e adultos jovens (12 a 30 anos): escala de autoestima, escala de resiliência, escala de qualidade da interação familiar, escala de satisfação com a vida, escala de orientação de vida, escala de exigência e responsividade e escala de autoeficácia percebida, além do passaporte de aptidão do paciente e seu responsável (MyHealth passport) para transferência ao ambulatório dos adultos. Os dados foram analisados pelo SPSS 13 e Statistica e os resultados correlacionados com a aderência e rejeição pós-transplante hepático. Resultados: Na avaliação do perfil psicológico do paciente utilizando a regressão logística multivariada, as variáveis orientação de vida e resiliência foram as principais características que interferem na rejeição clínica. Na avaliação da família, a presença de punição física praticada pela mãe e a comunicação negativa aumentam a possibilidade de rejeição clínica. As variáveis do pai que atuam na boa aderência foram comunicação negativa, responsividade, clima conjugal positivo, punição física e comunicação positiva, enquanto que envolvimento, sentimento dos filhos e comunicação positiva foram as principais características associadas à rejeição clínica. A maioria (93,3%) dos pacientes recebeu escore alto no passaporte, o que aconteceu em 60% dos responsáveis. Escores altos no passaporte do responsável estão relacionados com maior satisfação com a vida dos pacientes, clima conjugal positivo da mãe e do pai, comunicação negativa do pai e sentimentos dos filhos em relação à mãe. Conclusão: O perfil psicológico do paciente e da família interferem na adesão ao tratamento imunossupressor e na rejeição pós-transplante hepático e poderiam ser utilizados para triagem de pacientes com risco de má aderência ao tratamento imunossupressor e consequente rejeição ao enxerto. O passaporte do adolescente e de seu responsável não são um instrumento confiável para avaliar a aptidão para a transição para o ambulatório dos adultos.pt_BR
dc.description.abstractAbstract: The biological, psychological and social developmental changes that occur during adolescence place the transplanted adolescent at an even higher risk of nonadherence and poor outcome than other age groups. This study tries to elucidate the influence of the patients. and their families. psychological factors in the adherence to immunossupressive treatment after liver transplantation of Patients and Methods: Seven psychological instruments were applied to 30 liver transplanted adolescents (12-30 years old), which included: self-esteem scale, resilience scale, familiar interaction quality scale, satisfaction with life scale, life orientation scale, exigency and responsiveness scale and perceived general self efficacy scale. The MyHealth passport was applied for assessing competence for transfer to the adult clinic. These data were analyzed by SPSS 13 and Statistica Program and then the results were correlated with post-transplantation adherence and rejection (excluding surgical complications). Results: In multivariate logistic regression, the variables of life orientation and resilience were selected as the main characteristics that influence clinical rejection. In the family assessment, the presence of physical punishment practiced by the mother decreases the clinical rejection probability. As for the variables of the mother, physical punishment and negative communication were the main clinical features associated with clinical rejection. The variables of the father negative communication, responsiveness, marital positive climate, physical punishment and positive communication were the main characteristics associated with good adherence, while involvement, feelings of the children and positive communication were selected as the main clinical features associated with clinical rejection by the negligent attitude of the father to allow his son did not adherence to immunosuppressive treatment. High scores on the passport of the person responsible are related to greater life satisfaction of patients, positive marital climate of the mother and father, negative communication and children's feelings towards his mother. The majority (93,3%) of the patients received high passport scores, while only 60% of the their responsables received high scores. Conclusions: Some items of the psychological profile of the patient and family appear interfere with the adherence to immunossuppressive therapy and rejection after liver transplantation and could be used for screening of patients at risk of poor adherence to immunosuppressive treatment and subsequent graft rejection. The passport of the adolescent and responsible person is not a reliable tool for assessing the suitability for the transition to adult clinic.pt_BR
dc.format.extent214f. : il., grafs., tabs.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.relationDisponível em formato digitalpt_BR
dc.subjectTesespt_BR
dc.subjectAdolescentespt_BR
dc.subjectTransplante de figadopt_BR
dc.subjectAdesão à medicaçãopt_BR
dc.subjectAspectos psicologicospt_BR
dc.subjectFamíliapt_BR
dc.subjectRejeição de enxertopt_BR
dc.subjectPediatriapt_BR
dc.titleInfluência do perfil psicológico e familiar dos adolescentes e jovens transplantados de fígado na aderência ao tratamento imunossupressor e rejeição ao enxertopt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record