Show simple item record

dc.contributor.advisorDonatti, Lucéliapt_BR
dc.contributor.authorAraújo, Arimar Aguiar dept_BR
dc.contributor.otherRios, Flavia Sant'Annapt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciências Biológicas. Programa de Pós-Graduação em Biologia Celular e Molecularpt_BR
dc.date.accessioned2018-05-14T19:39:15Z
dc.date.available2018-05-14T19:39:15Z
dc.date.issued2011pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/26862
dc.descriptionOrientadora : Profa. Dra. Flavia Sant'Anna Riospt_BR
dc.descriptionCo-orientadora : Profa. Dra. Lucélia Donattipt_BR
dc.descriptionDissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Biológicas, Programa de Pós-Graduação em Biologia Celular e Molecular. Defesa: Curitiba, 31/08/2011pt_BR
dc.descriptionInclui bibliografiapt_BR
dc.description.abstractResumo: O presente estudo visou descrever o desenvolvimento do sistema sensorial do jundiá (Rhamdia quelen) sob aspecto morfológico desde o período embrionário até o final do período pós-larval. O sistema sensorial dos Teleósteos é composto por: sistema de acústico-lateral (tato, equilíbrio, audição e eletrorrecepção), sistema olfatório (olfato), botões gustativos (paladar) e sistema óptico (visão). Em muitos teleósteos, a visão é a principal modalidade sensorial na detecção do alimento. Em bagres (Siluriformes), contudo, os sentidos químicos costumam ser mais efetivos nessa atividade, permitindo a sobrevivência em ambientes com campo visual limitado. A linha lateral é composta por estruturas mecanorreceptoras (neuromastos) e também de eletrorreceptores, que auxiliam o animal na locomoção na coluna d’água, detecção de presas e predadores. Os botões gustativos e o epitélio olfatório pertencem ao sistema quimiorreceptor, que auxilia o animal a localizar e capturar alimento após esgotarem-se as suas reservas vitelínicas. Para a análise morfológica das estruturas citadas acima, embriões, larvas e pós-larvas de jundiá foram observados vivos através de estereomicroscopia e também foram processadas pelas técnicas de Microscopia Eletrônica de Varredura e de Transmissão e de Microscopia de Luz. As vesículas ópticas são as primeiras estruturas a surgirem no início da segmentação (E16; ~9 hpf). As lentes se diferenciam pouco depois (E19, ~12 hpf), porém a pigmentação do olho inicia bem mais tarde, na larva inicial (E26, ~36 hpf). O ouvido interno inicia sua formação após as vesículas ópticas (E18, ~11 hpf), mas é o primeiro sistema a completar o seu desenvolvimento, ainda no período embrionário (E23, ~18 hpf). No estádio E24 (~1 hora antes da eclosão) já pode-se observar os primórdios das narinas e os cílios olfatórios formam-se após o surgimento dos barbilhões e dos neuromastos. Devido ao rápido desenvolvimento e especialização das estruturas sensoriais no momento em que começam a se esgotar suas reservas vitelinas, o R. quelen se converte em um organismo com capacidade de perceber, identificar, perseguir e capturar presas, o que possibilita seu crescimento e, ao mesmo tempo, perceber, identificar e fugir de potenciais predadores e/ou situações de desconforto, permitindo a sua sobrevivência.pt_BR
dc.description.abstractAbstract: This study aimed to describe the development of the sensory system of the silver catfish (Rhamdia quelen) from the embryonic up to the post-larval period, using morphological criteria. The sensory system of Teleosts is composed of: acousticlateral system (touch, balance, hearing, and eletroreception), olfactory system (smell), taste buds (taste), and optical system (vision). Vision is the main sensory modality in the detection of food in most Teleosts. In catfish (Siluriformes), however, the chemical senses are often more effective, allowing survival in environments with limited visual field. The lateral line is composed of mechanoreceptor structures (neuromasts) and also electroreceptors, which helps in animal locomotion through the water column, detection of prey, and predators. The taste buds and olfactory epithelium belong to the chemoreceptor system, and help the animal to locate and capture food after depletion of their yolk reserves. For the morphological analysis of the structures mentioned above, embryos, larvae, and post larvae of silver catfish were analysed alive by stereomicroscopy, and were processed by Scanning and Transmission Electron Microscopy, and also Light Microscopy. The optic vesicles are the first sensory structures to develop during early segmentation (E16, ~9 hpf), followed by differentiation of the lens (E19, ~12 hpf), but the pigmentation of the eye starts later, in the early larva (E26, ~36 hpf). The inner ear starts to form after the vesicles optics (E18, ~11 hpf), but is the first system to complete its development, still during embryonic period (E23, ~18hpf). At stage E24 (~ 1 hour before hatching) can now be seen the beginnings of the nostrils and olfactory cilia are formed after the onset of wattles and of neuromasts. Due to the rapid development and specialization of sensory structures at the time they begin to deplete its reserves yolk R. quelen becomes one body with the capacity to perceive, identify, pursue and capture prey, which allows growth and at the same time, perceive, identify and avoid potential predators and / or uncomfortable situations, allowing them to survive.pt_BR
dc.format.extent83 f. : il. [algumas color.] ; 30 cm.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.relationDisponível em formato digitalpt_BR
dc.subjectTesespt_BR
dc.subjectBagre (Peixe)pt_BR
dc.subjectVias aferentespt_BR
dc.subjectCitologia e biologia celularpt_BR
dc.subjectBiologia molecularpt_BR
dc.titleDesenvolvimento do sistema sensorial do jundiá Rhamdia quelen (SILURIFORMES, HEPTAPTERIDAE)pt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record