Show simple item record

dc.contributor.authorRibeiro, Catherine Gérikaspt_BR
dc.contributor.otherKolm, Hedda Elisabeth, 1953-pt_BR
dc.contributor.otherSteffens, Maria Berenice Reynaudpt_BR
dc.contributor.otherUniversidade Federal do Paraná. Setor de Ciencias da Terra. Programa de Pós-Graduaçao em Sistemas Costeiros e Oceanicospt_BR
dc.date.accessioned2011-12-22T09:15:32Z
dc.date.available2011-12-22T09:15:32Z
dc.date.issued2011-12-22
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1884/26474
dc.description.abstractResumo: Os manguezais criam um ambiente ecológico único que abriga ricas assembléias de espécies, protegem e estabilizam linhas de costa, auxiliam na manutenção da qualidade da água, e dão suporte à pesca costeira. A destruição de habitats através de atividades antrópicas tem sido a causa primária da perda destes ecossistemas. As comunidades procarióticas presentes nos mesmos são pobremente caracterizadas, refletindo, em sua maioria, estudos baseados na contagem de micro-organismos sem identificação ou na identificação de organismos cultiváveis. As técnicas moleculares surgem como uma poderosa ferramenta para avaliação do impacto de atividades antrópicas na diversidade procariótica de manguezais, assim como de sua potencial modificação das funções ecológicas desempenhadas por estes ecossistemas únicos. O presente trabalho representa a primeira descrição da diversidade procariótica em manguezais do Estado do Paraná, utilizando-se técnicas moleculares. Amostras de sedimento foram coletadas em duas regiões distintas com diferentes níveis de contaminação (Baía de Paranaguá e Baía das Laranjeiras) do Complexo Estuarino de Paranaguá (CEP). O DNA total dessas amostras foi extraído e usado como molde em reações de PCR com iniciadores universais para o gene 16S rRNA dos Domínios Bacteria e Archaea. Comparações das comunidades procarióticas foram feitas através de ARDRA e Sequenciamento. Foram realizadas análises de parâmetros ambientais bióticos e abióticos, sendo observadas diferenças significativas entre as regiões para os parâmetros carbonato de cálcio, matéria orgânica, fosfato, temperatura, coliformes totais e Escherichia coli, assim como diferenças nos níveis de contaminação por hidrocarbonetos. Através da técnica ARDRA não foram identificadas diferenças significativas nas comunidades arqueanas e bacterianas, sejam dentro de cada área ou entre as áreas amostradas. As influências antrópicas verificadas na Baía de Paranaguá parecem não ser suficientes para gerar distúrbios na diversidade da comunidade procariótica detectáveis pela resolução da técnica em questão. Comparações das sequências com o banco de dados do RDP dos clones de Archaea indicaram na Baía das Laranjeiras 48,3% de organismos pertencentes ao Filo Crenarchaeota e 51,7% ao Filo Euryarchaeota. Para o Domínio Bacteria, 61,1% foram representativas do Filo Cyanobacteria, sendo que destas 90,9% foram da Família Bacillariophyta. Outros Filos encontrados foram Proteobacteria, Bacteroidetes e Acidobacteria. Na comparação das sequências com o banco de dados do NCBI, na Baía das Laranjeiras, 83,3% pertencentes ao Domínio Bacteria e 93,1% de Archaea, estão relacionadas com sequências de organismos encontrados em regiões costeiras e oceânicas. A porcentagem de identidade flutuou entre 83% e 100% para Bacteria e entre 87% e 100% para Archaea. O presente trabalho indica que as técnicas moleculares são particularmente úteis na busca pelo conhecimento da estrutura das comunidades procarióticas e suas inter-relações com o ambiente.pt_BR
dc.format.mimetypeapplication/pdfpt_BR
dc.languagePortuguêspt_BR
dc.subjectTesespt_BR
dc.titleDiversidade procariótica em sedimentos de dois manguezais, com distintos níveis de poluição, no complexo estuarino de Paranaguá, Paraná, Brasilpt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record